Milhares de cidadãos "fazem bagunça" na Bolívia durante a Marcha Nacional pela Vida

Parlamento boliviano debaterá o aborto nas próximas semanas

Roma, (Zenit.org) Redacao | 552 visitas

Com o lema “A Bolívia ama a vida”, foram realizadas ontem à noite várias manifestações em favor da vida desde a concepção até a morte natural em diversas cidades do país andino. A iniciativa é promovida pela Conferência Episcopal Boliviana e conta com a participação de várias igrejas cristãs, universidades, organizações de agricultores e outras instituições.

O jornal El Diario informa que “dezenas de milhares de fiéis de várias igrejas, instituições cívicas, estudantis, crianças, jovens, pais de família e agricultores marcharam em seis capitais do país, repudiando as práticas ilegais do aborto e se manifestando em defesa do direito à vida, de acordo com os valores humanos e cristãos vigentes na Bolívia”.

O jornal, de La Paz, acrescenta que os manifestantes "expressaram rejeição à proposta que tramita na Assembleia Legislativa para legalizar o aborto. A população se pronunciou contra a reforma pedida por várias organizações com apoio internacional”.

A iniciativa foi lançada pela Conferência Episcopal Boliviana (CEB), que declarou: "Como bolivianas e bolivianos, exigimos o amparo jurídico da vida das crianças ainda não nascidas, desde a concepção. A sua identidade não se modifica em razão do seu crescimento, desenvolvimento ou suficiência. Portanto, merece, desde o princípio, a proteção garantida pelos direitos humanos".

Poucas horas antes da manifestação, o presidente do laicato católico boliviano, Victor Hugo Valda, afirmou: “Em toda a Bolívia, nós estamos nos mobilizando a favor da vida e vamos para as ruas ‘fazer bagunça’ como pediu o papa Francisco. Fazer uma bagunça de vida e de amor”, informa o boletim Igreja Viva, da Conferência Episcopal Boliviana.

Participam das marchas muitas organizações e movimentos que defendem a vida “porque a vida é um assunto que não se restringe à fé: é um aspecto dos direitos humanos”.

Em La Paz, a marcha partiu da Praça do Bicentenário, onde se concentraram pelo menos vinte mil pessoas. A mobilização aconteceu em sete departamentos da Bolívia, equivalentes a Estados. Em Oruro e Cochabamba, a marcha se realizará no dia 27 de agosto.