Minissérie televisiva de um exorcista da diocese de Roma

Mostra como se faz um exorcismo e como não ter medo do demônio

| 1184 visitas

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 11 de abril de 2008 (ZENIT.org).- Como se faz um exorcismo? Como é possível não ter medo do demônio? Um dos exorcistas da diocese de Roma responde a estas perguntas em uma minissérie para a televisão e internet.

O diabo existe? Esta foi a primeira questão respondida pelo padre Gabriele Amorth, exorcista da diocese do Papa há 21 anos, sacerdote da Congregação de São Paulo.

«Respondo com as palavras de João Paulo II, a quem uma vez fiz essa pergunta – recorda –: ´Santidade, me encontro com muitos bispos que não acreditam no demônio´. E João Paulo II respondeu: ´Quem não acredita no demônio, não crê no Evangelho´».

«O diabo é um anjo, e portanto, um espírito puro criado bom por Deus e que se perverteu porque se rebelou contra Deus. Portanto, conserva todas as características do espírito puro como são, inteligência muito grande, imensamente maior que a nossa», explica.

«A forma como nós costumamos representá-lo com asas, em forma de morcego, tudo isso o agrada muito, porque o ridiculariza e favorece que não se creia em sua existência», afirma.

Agora, o sacerdote mostra também que com Jesus é possível vencer o diabo: «o exorcista atua no nome de Jesus com a força que vem de Jesus».

O padre Amorth explica como faz um exorcismo: «Vou a uma igreja do centro de Roma, uma paróquia que durante o dia está fechada. Há missa pela manhã e logo a fecham e ali faço os exorcismos fortes. Tenho sempre sete, dez pessoas que me ajudam, tenho uma pequena cama. Às vezes, temos de atar as pessoas ou simplesmente as sujeitamos».

O sacerdote esclarece que um mal maléfico não é o mesmo que um problema psíquico. «Normalmente quando uma pessoa sente esses males e problemas, a primeira coisa que faz é ir ao médico e ao psiquiatra», reconhece.

«O mais difícil é distinguir o mal maléfico do mal psiquiátrico. Vão ao psiquiatra e se submetem durante anos a tratamentos, mas não conseguem nenhum resultado. Então começam a pensar que seu mal não é um mal natural. E acudem a um mago, de quem recebem um dano maior».

«Este é o percurso normal que estas pessoas seguem. Neste momento é possível que uma pessoa com mais prática nestes assuntos sugira que se vá a um exorcista.»

Entre as surpresas que traz aos ouvintes, o padre Amorth revela o nome da criatura que mais aversão provoca ao diabo, Maria.

«Em certa ocasião, um amigo meu exorcista perguntou ao demônio o que era mais lhe feria da Virgem. Respondeu: ‘porque é a mais pura de todas as criaturas e eu sou o mais imundo, é a mais obediente de todas as criaturas e eu sou o mais rebelde, é aquela que nunca cometeu nem o mais mínimo pecado e por isso me vence sempre’».

De fato, o padre Amorth, cuja responsabilidade em teologia é a mariologia, esclarece que Maria também sofreu tentações do demônio.

«Quando?», se pergunta. «Do nascimento até a morte. Mas sempre venceu», responde.

A minissérie semanal, transmitida em oito idiomas, encontra-se em seu terceiro capítulo e continuará nas próximas semanas. É transmitida por canais católicos de televisão e pode-se ver na internet no portal http://www.h2onews.org/_page_search.php?testo=amorth.