Ministério ordenado é um serviço aos irmãos, afirma bispo

CNBB dedica missa aos presbíteros

| 966 visitas

INDAIATUBA, segunda-feira, 7 de abril de 2008 (ZENIT.org).- Na missa dedicada aos presbíteros pela 46ª Assembléia Geral da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), esta segunda-feira, o bispo presidente da celebração recordou a dimensão de serviço que envolve o ministério ordenado.

O bispo de Barra do Piraí-Volta Redonda (Rio de Janeiro), Dom João Maria Messi, destacou a importância dos sacerdotes.

«A messe é grande e os operários devem ser muitos para ceifar essa messe», afirmou o bispo, que hoje completa 50 anos de ordenação presbiteral, segundo informa a Sala de Imprensa da CNBB.

Uma das missões do sacerdote é «partilhar o pão que sacia, fortalece, santifica e se torna alimento e força». De acordo com o bispo, «antes de tomá-lo, devemos nos dirigir ao Pai que está no céu».

«Os presbíteros – prosseguiu Dom João Messi –, apesar das fragilidades e limitações, tentam ser outro Jesus». «O ministério ordenado é um serviço ao irmão», disse.

O bispo destacou ainda a importância da família no cultivo das vocações e também na «ação missionária» que implica a vida do presbítero.

Retiro

Esse final de semana, os cerca de 300 bispos reunidos em assembléia em Itaici (São Paulo) participaram de um retiro pregado pelo bispo do Xingu (Pará), Dom Erwin Kräutler.

O bispo, ameaçado de morte por, segundo ele mesmo explicou, «minha insistência em investigar a fundo a morte de Irmã Dorothy; minha posição em relação ao desenvolvimento e a denúncia que fiz de abuso sexual de menores», apresentou em algumas de suas reflexões o exemplo do apóstolo Paulo na fidelidade à missão.

«Paulo é instrumento nas mãos do Senhor, sua irrestrita propriedade. Coloca-se de modo incondicional a serviço do Senhor e o justifica: ‘Se quisesse agradar aos homens, não seria servo de Cristo’», disse.

Dom Erwin destacou que o sofrimento «jamais pode ser separado ou excluído da missão que o servo executa».

«O servo é servo por vocação. Não sai de cena quando é desafiado por adversidades», afirmou.

No final da manhã desse domingo, Dom Erwin presidiu a missa de encerramento do retiro. No fim da celebração, os bispos se solidarizaram com os colegas que sofrem ameaças em seu trabalho apostólico, especialmente os que atuam junto das comunidades indígenas.