Missão não pode ser feita com pregações desencontradas, diz cardeal

Dom Odilo Scherer fala sobre Dia Mundial das Missões

| 1028 visitas

SÃO PAULO, quarta-feira, 27 de outubro de 2010 (ZENIT.org) – O arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Scherer, afirma que a missão “não pode ser feita com pregações desencontradas, ou com personalismos que fazem aparecer mais o pregador do que o próprio Cristo e seu Evangelho”.

Dom Odilo falou sobre o tema da missão – no contexto do Dia Mundial das Missões, celebrado domingo passado – na edição desta semana do jornal O São Paulo.

Referindo à mensagem do Papa para esse dia, o cardeal afirma que a missão “será tanto mais eficaz, quanto mais houver unidade entre os cristãos”.

“Trata-se da unidade na mesma fé e adesão a Jesus Cristo e, por meio dele, da adesão a Deus Pai, no dom do Espírito Santo; mas também da unidade na comunhão eclesial, que nasce do nosso comum encontro com o Senhor Jesus Cristo e com seu Evangelho. Nele e em torno dele se constrói e realiza a comunhão eclesial.”

“Uma Igreja dividida perderia sua credibilidade perante o mundo. A ação missionária não é obra de uns poucos, mas de todos os membros da comunidade eclesial”, recorda Dom Odilo, no contexto das palavras do Papa.

De acordo com o arcebispo de São Paulo, o esforço missionário “requer a conversão pessoal a Cristo e seu Evangelho, mas também inclui a conversão da mentalidade e a revisão do ritmo de nossas ocupações e programas”.

As dificuldades no caminho da evangelização podem ser resolvidas “quando existe ‘ardor missionário’ e a consciência de que somos ‘colaboradores na obra de Deus’”.

“De fato – prossegue o cardeal –, a obra missionária não é feita por assalariados, nem com metodologias fora do alcance: é obra, sobretudo, dos ‘amigos’ de Jesus, que o deixaram entrar em suas vidas e ficaram fascinados por Ele.”

“Estes são capazes de enfrentar qualquer obstáculo ou cansaço, sem medir esforços e sacrifícios; serão capazes até mesmo de entregar a vida por Cristo”, afirma.