Mobilização no Facebook contra proibição dos crucifixos na Espanha

Nasce o grupo “Sim ao crucifixo”

| 1601 visitas

MADRI, quarta-feira, 19 de agosto de 2009 (ZENIT.org).- O anúncio do ministro da Justiça, Francisco Caamaño, da intenção do Governo espanhol de proibir a presença dos símbolos religiosos nos centros educativos públicos provocou a mobilização no Facebook. 

Com este motivo se criou o grupo "Sim ao crucifixo", que no momento do fechamento desta edição contava com cerca de 700 usuários na rede social, pouco depois de ter sido criado. 

“O sinal da cruz é o sinal universal do amor e da paz”, dizem os promotores no Facebook. 

O grupo é promovido pelo site da revista Ecclesia

Nos foros de discussão, alguns dos participantes retomaram as declarações que emitiu esta terça-feira o cardeal Eduardo Martínez Somalo, carmalengo emérito e antigo prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica.

Após a reunião com Pedro Sanz, presidente do Governo de La Rioja, o purpurado espanhol reconheceu que “não entende” por que o Governo espanhol propõe mediante uma lei tirar crucifixos dos colégios públicos. 

O cardeal confessou que desconhece “a quem os crucifixos podem agredir”, “ainda que não seja católico”. Não se entende, disse, como “para chegar à pluralidade e para ter uma autêntica democracia tenha de suprimir um elemento da pluralidade, que é o catolicismo, ou não respeitar a grande maioria, que são crentes”.