Moçambique: Assassinos de missionários começam a ser julgados

| 1155 visitas

LISBOA, segunda-feira, 20 de agosto de 2007 (ZENIT.org).- As cinco pessoas acusadas do assassinato da missionária portuguesa Idalina Gomes e do sacerdote brasileiro Waldyr dos Santos, no dia 6 de novembro de 2006, em Moçambique, começaram a ser julgadas esta segunda-feira no país.



Os homicídios ocorreram quando um grupo de homens armados assaltou a Missão de Fonte Boa, situada numa zona remota da província de Angónia, a mais de 200 quilômetros de Tete, capital da província com o mesmo nome, junto da fronteira com o Malawi.

Na ocasião, foram mortos o padre Waldyr, de 69 anos, jesuíta, e Idalina, 30 anos, missionária portuguesa a serviço da Associação “Leigos para o Desenvolvimento” (uma ONG católica portuguesa).

Outros dois jesuítas, Ir. José Andrade, moçambicano de 76 anos, e padre Mario J. de Almeida, português, 37 anos, ficaram feridos.

A violência dos agressores, que teriam torturado as suas vítimas, levantou uma onda de indignação no país.