Morre Pe. Antonio Izquierdo García, L.C.

Teólogo, biblista e grande diretor espiritual

Roma, (Zenit.org) | 1709 visitas

No dia 30 de Dezembro de 2012, aos 68 anos de idade, morreu em Roma o Pe. Antonio Izquierdo García, L.C.

Nascido no dia 13 de junho de 1944 em Salamanca, Espanha, o Pe. Antonio Izquierdo García, L.C. entrou no noviciado no dia 15 de Setembro de 1959. Em 1963 mudou-se para Roma e começou os seus estudos de filosofia. De 1966 a 1970 realizou as suas práticas apostólicas no México como professor no Centro Vocacional e, depois, como coordenador geral da Universidade Anáhuac. Professou os votos religiosos ad vitam no dia 6 de abril de 1965, e ao completar os seus estudos na Universidade Gregoriana de Roma, foi ordenado sacerdote no dia 24 de dezembro de 1973.

Em 1982 começou o seu trabalho como professor de teologia no Centro de Estudos Superiores e em 1983 foi nomeado prefeito geral de estudos da Legião de Cristo, até o ano de 1995. Em 1996 concluiu seus estudos de mestrado em Ciências Bíblicas no Pontifício Instituto Bíblico de Roma. E desde 1993 foi professor de Novo Testamento e Introdução à Sagrada Escritura no Ateneu Pontifício Regina Apostolorum em Roma e membro da Associação bíblica Italiana desde 1997.

Entre os muitos cargos ocupados ao longo da sua vida, destacou-se especialmente, nos últimos anos de vida, pela atenção espiritual dos jovens destinados ao sacerdócio. Apesar da sua sofrida doença sempre se mostrou muito atencioso e amável com todos que o procuravam para confissão ou direção espiritual.

Também deixou muitas obras publicadas em revistas especializadas na área de teologia, espiritualidade e Sagrada Escritura e foi diretor e fundador da revista de cultura católica Ecclesia.

Em uma via sacra que o Pe. Antonio preparou, por ocasião dos exercícios espirituais do mês que pregava para um grupo de religiosos e padres, sintetizou o seu sentimento sobre o significado da morte e sobre o seu encontro com o Senhor: “Senhor Jesus, na tua morte contemplo a minha, e a minha alma se enche de paz. Você venceu o medo à morte. Você a redimiu da sua mensagem absurda. Você feriu de morte a morte, com a luz da sua Vida. Obrigado, meu Jesus, por esta sua vitória particular, que é também nossa. Obrigado, Senhor, pelo seu infinito amor, ao morrer na sua cruz para da Vida”.