Movimento Juvenil Salesiano na JMJ

Mais de mil jovens se encontraram como reitor-mor em Sydney

| 602 visitas

Por Nieves San Martín

SYDNEY, sábado, 19 de julho de 2008 (ZENIT.org).- O reitor-mor dos Salesianos, pe. Pascual Chávez, teve um encontro com mais de mil jovens, que participam da Jornada Mundial da Juventude. Os jovens receberam a catequese de 3 bispos.

O encontro aconteceu no dia 16 de julho, no ginásio do colégio Dom Bosco, em Negandine, subúrbio de Sydney. Estavam presentes grupos de jovens provenientes das realidades salesianas do mundo inteiro, sobretudo da área do Pacífico, «uma maioria que caracteriza este grande encontro, que oferece uma perspectiva nova – e talvez futura – da Igreja Católica», informa a agência de notícias salesiana (ANS).

Após a catequese levada a cabo por 3 bispos – Dom Diarmuid Martin, bispo de Dublin (Irlanda); Dom Daniel Flores, bispo auxiliar de Detroit (Estados Unidos); e Dom Patrick Dunn, bispo de Auckland (Nova Zelândia) – foi celebrada a Eucaristia.

Foram significativos o canto e a dança no final da celebração: sons e gestos oferecidos pelo grupo de Nova Zelândia, que comunicaram a emoção da oração.

A festa continuou no pátio onde, ao redor de uma grande fogueira, os jovens puderam conhecer-se e trocar as próprias experiências com aqueles que provinham de outros países.

Estavam presentes mais de mil jovens, aos quais se uniram cerca de 100 adultos para o serviço de acolhida. À tarde tiveram um tempo livre e a apresentação de grupos musicais, enquanto esperavam o encontro com o reitor-mor.

O centro de sua intervenção se resume no convite – ou melhor, uma verdadeira recomendação – a não deixar que diminuam a fé, o amor e a esperança.

Referindo-se muitas vezes às figuras dos jovens que amadureceram sua fé cristã no mundo salesiano, entre eles Domingos Sávio e a beata Laura Vicunha, dispostos a gastar sua vida até o final pela proclamação da Boa Notícia, pe. Pascual Chávez sublinhou que a Igreja se confia cada vez mais às novas gerações, chamadas a assumir a própria responsabilidade.

«Ninguém mais pode ocupar vosso lugar – disse o reitor-mor. Não penseis que a Igreja são os bispos, os sacerdotes, as religiosas. A Igreja é, sobretudo, Cristo, e a nós é pedido que façamos algo por Ele.» Muitos jovens consideram que este mundo não pode melhorar, mas com a mesma atitude do Papa bento XVI, é necessário lançar o chamado para que cada um faça algo pelo próprio povo, como se propôs o beato Zeferino Namuncurá.

Don Frank Moloney, inspetor dos salesianos da Austrália e do Pacífico, ao fazer os cumprimentos no final do encontro, sublinhou que é preciso considerar a presença de pe. Chávez na JMJ como um sinal de sua vontade de estar próximo dos jovens nesta significativa experiência.