Movimentos: evangelizar a cultura, com testemunho de santidade, oração e formação

É o que pede no Brasil o prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada

| 1877 visitas

BRASÍLIA, terça-feira, 16 de dezembro de 2008 (ZENIT.org).- Aos católicos implicados na vida da Igreja por meio dos novos movimentos, o cardeal Franc Rodé destacou a importância de uma evangelização que incida da sociedade e na cultura, sendo testemunho de uma vida de santidade, oração e formação.

O prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica esteve em Brasília esse final de semana para falar aos membros do movimento Regnum Christi, no Encontro «Juventude e Família».

Segundo o cardeal Rodé – que se dirigiu aos presentes em português – a Igreja necessita hoje, «mais do que nunca», de evangelizadores. «Homens e mulheres dispostos a dedicar a sua vida, no seu ambiente ou onde os leve a Providência, a pregar o nome de Cristo, a estender o seu Reino».

«Temos de evangelizar nossos irmãos, as famílias, as empresas, temos de evangelizar a cultura», disse o prefeito da Congregação vaticana, na conferência que dirigiu esse domingo.

O cardeal Rodé enfatizou que não se trata de «impor uma ideologia ou uma doutrina, mas de apresentar Cristo como ideal do ser humano e como Salvador para humanizar e salvar nossos irmãos e as sociedades». 

No contexto do Ano Paulino, ao recordar o exemplo do apóstolo, o representante da Santa Sé afirmou que São Paulo ensina que evangelizar «é um serviço que se faz por amor».

Assim, é preciso «crescer na santidade para ser melhores testemunhas de Cristo no mundo. Crescer na santidade, crescer no amor, crescer na esperança, para levar a outros a fé, o amor e a esperança». «A santidade de vida é o cimento do testemunho, do apostolado», acrescentou.

Segundo o cardeal Rodé, São Paulo também «insiste muito» na oração. «A oração é o diálogo com Deus, e é o alimento do apóstolo, do evangelizador. Hoje, quando nos toca viver em ambientes tão adversos, a oração se faz ainda mais importante».

«A oração nos mostra que nosso compromisso evangelizador nasce de Cristo. Evangelizar é dar o que se tem recebido, é ir pregar o Cristo com o que me encontro na oração», disse. 

Dom Franc Rodé recordou em seguida que a Conferência de Aparecida dá destaque à «formação necessária para a missão». «O compromisso na missão da Igreja exige uma formação integral excelente, de qualidade».

«A Igreja necessita de homens e mulheres muito bem preparados para poder dialogar com os homens e as mulheres de hoje e poder transmitir-lhes Cristo.»

Hoje, para poder desenvolver sua missão, a Igreja «precisa contar com membros muito bem formados que saibam dar razão de sua fé e oferecer respostas aos homens e mulheres de hoje».

«Por isso peço-lhes que se formem a fundo, sem economizar esforços. Vivam o esforço contínuo de sua formação como um serviço a Cristo e à Igreja. A formação minuciosa de vocês é a melhor garantia de que serão missionários eficazes a serviço de Cristo e da Igreja», afirmou.

Ao destacar que o lema do Encontro era «amar mais para servir mais», o cardeal Rodé explicou que esta foi uma das marcas da vida de São Paulo e deve ser também uma característica essencial de todo cristão.

São Paulo «estava convencido de que sem amor não era nada. Sem amor não somos nada, não somos evangelizadores, não somos cristãos autênticos».

«O amor é o distintivo do cristão, nisto conhecerão os homens e as mulheres de hoje que sois discípulos de Cristo», disse.

O IV Encontro «Juventude e Família», promovido pelo Movimento Regnum Christi e pelos Legionários de Cristo, reuniu mais de 4 mil pessoas no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, na capital do Brasil, sendo que a maioria dessas pessoas eram de jovens e famílias jovens. Também estiveram presentes no evento jovens consagradas dentro do Movimento.

O movimento Regnum Christi é realidade eclesial reconhecida pela Santa Sé que conta com cerca de 70 mil membros, jovens e adultos, diáconos e sacerdotes, em mais de 30 países.