Muitas famílias deixam de ir à Missa porque as crianças não param quietas

Entrevista com Rachel Abdalla, Presidente da Associação Pequeninos do Senhor

Brasília, (Zenit.org) Thácio Siqueira | 2601 visitas

O que fazer com os filhos pequenos na hora da Santa Missa? Como se concentrar com a garotada gritando e correndo pelo corredor da Igreja? Sem dúvida, toda família com criança pequena sabe da aventura que é cada missa dominical.

Pequeninos do Senhor (www.pequeninosdosenhor.com.br) é um projeto da Arquidiocese de Campinas, fundado em 1997 na casa de uma catequista, com somente 8 crianças no princípio, e que propôs uma solução eficaz para esse problema.

Hoje, Pequeninos do Senhor, já está implantado em mais de 100 paróquias, conta com 250 catequistas, voluntários e está até fora do Brasil.

ZENIT entrevistou Rachel Abdalla, atual presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor, e uma das fundadoras. Rachel nos explica a origem do projeto e como é fácil montá-lo na própria paróquia ou diocese.

Publicamos entrevista na íntegra.

***

ZENIT: A senhora é a presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor. Qual é a proposta da Associação? Quem iniciou o projeto e como foi a inspiração?

Rachel Abdalla: Sou uma das fundadoras e estou como presidente da Associação Pequeninos do Senhor fazendo parte de uma equipe de 12 discípulas que estão à frente desta obra de Deus para servir a Igreja de Cristo.

Nossa proposta é levar a família para o dia do Senhor, abrindo um espaço para as crianças durante as Missas nos finais de semana, para serem evangelizadas desde pequeninas.

Os sete primeiros anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento intelectual, físico, psicológico e espiritual de toda pessoa humana, pois é considerado o momento mais importante para a formação do caráter, da personalidade , da afetividade e dos valores. Neste período, todas as experiências vividas são assimiladas e servirão de base para as suas condutas durante toda a vida. Embasadas nesta afirmação, um grupo de quatro mães (eu era uma delas), em 1997, acreditou que, quanto antes a criança for inserida na Comunidade cristã, conhecer Jesus e aprender seus ensinamentos e as virtudes cristãs, mais chances ela tem de permanecer na Igreja e se tornar um adulto fortalecido na fé.

Inspiradas pelo Espírito Santo, este grupo formou a Comunidade Pequeninos do Senhor que hoje é um serviço da Igreja que acolhe os pequeninos de 3 a 7 anos, para conhecerem Jesus e aprenderem Seus ensinamentos, durante as Missas nos finais de semana.

ZENIT: Já são mais de 100 paróquias que implantaram esse projeto no Brasil e além-fronteiras nacionais. O que é preciso fazer para ter o projeto implantado em uma Paróquia?

Rachel Abdalla: Este subsídio oferece, também, uma formação para os catequistas, para que cresçam espiritualmente, transformando a Palavra de Deus, que é viva, em prática cristã, testemunhando, no dia a dia, a fé e a esperança onde estão.

Para ter acesso a este subsídio, é preciso implantar o Projeto 'Pequeninos do Senhor' na Paróquia. Para isso, basta que o Pároco ou um catequista, preencha um 'cadastro' que se encontra no site www.pequeninosdosenhor.com.br para, em seguida, receber uma instrução por telefone ou por email. 

Atualmente (2012), o projeto 'Pequeninos do Senhor' está implantado em mais de 100 Paróquias e Comunidades em vários Estados do Brasil, em Angola, Moçambique, Cabo Verde e no Canadá, em uma Comunidade de portugueses.

ZENIT: Uma das grandes dificuldades das famílias com crianças pequenas é participar da Santa Missa. Por que os pais sentem essa dificuldade? A senhora tem filhos?

Rachel Abdalla: Muitas famílias deixam de ir à Missa porque as crianças não param quietas, incomodam a comunidade, atrapalham a concentração dos fiéis e, com isso, os pais sentem-se constrangidos de levá-las consigo para a Igreja. E, por não terem com quem deixá-las, acabam não participando, também, deste compromisso cristão, deste encontro dos filhos com o Pai.

Foi por sentir isso dentro de nossas famílias que desejamos, inspiradas pelo Espírito Santo, acolher os pequeninos durante as Missas, nos finais de semana, com o propósito de evangelizá-los com o mesmo Evangelho do Domingo, num espaço adequado e especialmente preparado para eles, enquanto seus pais participam da Celebração da Eucaristia.

Eu tenho duas filhas que hoje já são adultas (23 e 19 anos) e elas participaram do projeto desde bem pequeninas, quando iniciamos os encontros em 1997.

ZENIT: Desde 1997 que o projeto está funcionando. Como foi a acolhida entre os bispos, sacerdotes, e agentes de pastoral? O projeto tem o apoio de algum bispo do Brasil?

Rachel Abdalla: O Concílio Vaticano II, através da Constituição Lumem Gentium (1964) define a Igreja como Povo de Deus, e incentiva e apoia os leigos a trabalharem com todo vigor para Cristo. Porém, com toda razão, a Igreja ainda permanece muito zelosa e cautelosa para dar o seu apoio incondicional a uma obra evangelizadora, principalmente àquelas que nascem a partir de leigos. É preciso, antes, que esta obra se consolide, cresça e mostre seus frutos para que seja reconhecida. Mas, nada disso impediu que esta obra de Deus crescesse e avançasse por caminhos tão diversos! E nós não temos noção do tamanho dela, porque somos apenas instrumentos capacitados pelo Pai que tudo vê e tudo sabe.

O trabalho de evangelização com os pequeninos iniciou em 1997, e somente 13 anos depois, em 2010, foi possível o reconhecimento oficial através de um 'Ad Experimentum' por 5 anos, pela Arquidiocese de Campinas.

Por ocasião do ano 2000, o nosso então Arcebispo, Dom Gilberto Pereira Lopes, aprovou, apoiou de imediato, nos incentivou e abriu as portas da Cúria para a divulgação entre o Clero. E, a partir daí, nós semeamos a ideia dentro da nossa Arquidiocese e, no tempo de Deus, o projeto foi sendo implantado e desejado por outras Paróquias.

Quando Dom Bruno Gamberini, in memoriam (+2011), assumiu a nossa Arquidiocese em 2005, ele também nos apoiou, orientou e encaminhou para a apresentação do projeto em outras Dioceses circunvizinhas, o que permitiu também a amplitude da divulgação, além de apoiar a fundação da 'Associação de Fiéis Leigos', denominada 'Pequeninos do Senhor', em 2010.

Em abril deste ano de 2012, Dom Airton José dos Santos assumiu a Arquidiocese e, recentemente, apresentamos a Associação Pequeninos do Senhor a ele que nos acolheu com muito estímulo, focando a obra como uma importante etapa inicial da catequese catecumenal.

O 'Pequeninos do Senhor' é uma obra Diocesana, oficialmente reconhecida pela Arquidiocese de Campinas e atualmente, o nosso pastor é Dom Airton José dos Santos; e o nosso Diretor Espiritual é o Mons. João Luiz Fávero, Vigário Geral da Arquidiocese de Campinas. Nosso próximo passo, dentro da Igreja, nos próximos 3 anos, será encaminhá-la para a aprovação Apostólica, em Roma.

ZENIT:A Associaçãovive do quê? Recebe doações? Como fazer para ajudar?

Rachel Abdalla: A Associação não tem fins lucrativos, promove eventos para o seu sustento próprio,  não depende de nenhum órgão civil ou particular, e nem da Igreja de Campinas para a sua subsistência. Aceita doações particulares, somente. Optou-se por isto a exemplo de São Paulo: "Ainda vos lembrais, meus irmãos, dos nossos trabalhos e fadigas. Trabalhamos de noite e de dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. Foi assim que pregamos o evangelho de Deus." (1Tess 2,9)

A Associação tem uma estrutura pequena e poucas despesas. Pelo menos, por enquanto, o que precisamos é apenas da divulgação da obra para que possamos evangelizar os preferidos de Jesus: as criancinhas. E, principalmente, de orações para que a obra não pereça por falta de operários.

"O Senhor completará o que em meu auxílio começou. Senhor, eterna é a vossa bondade: não abandoneis a obra de vossas mãos." Sl 137