Muitos abandonam a Igreja “talvez porque nunca entraram nela”, diz cardeal

Dom Odilo Scherer fala sobre a iniciação à vida cristã

| 1490 visitas

SÃO PAULO, quarta-feira, 6 de maio de 2009 (ZENIT.org).- “Por que muitas pessoas abandonam a Igreja? Talvez porque nunca entraram nela, de fato”, considera o arcebispo de São Paulo.

Dom Odilo Scherer comenta na edição desta semana do jornal arquidiocesano “O São Paulo” o tema da iniciação à vida cristã, tratado recentemente pelos bispos do Brasil em assembleia geral.

O cardeal explica que se ouve sempre falar dos “sacramentos de iniciação cristã”, Batismo, Eucaristia e Confirmação. “Na verdade, porém, um verdadeiro processo de iniciação à vida cristã geralmente não acontece, ou apenas acontece um pouco”.

“Por isso temos tantos católicos apenas ‘nominais’, que nunca foram introduzidos nos ‘mistérios da fé’ e não conhecem sua fé, nem a proposta de vida eclesial, nem têm condições de apreciar a verdadeira beleza e o valor da vida cristã. Não é bem isso que faz falta em nossa Igreja?”, questiona.

Segundo o arcebispo, a transmissão da fé já não acontece mais “automaticamente”, “como talvez acontecia em outros tempos e em lugares do interior”. “A grande cidade oferece tantas opções e alternativas, sobretudo a de não se ligar a nenhuma Igreja ou prática religiosa”.

Dom Odilo explica que na recente assembleia da CNBB, os bispos, ao tratarem da ‘iniciação à vida cristã’, “falaram de um novo método de evangelização, mais adequado às nossas condições e necessidades atuais. É a necessária ‘conversão pastoral’ que precisamos fazer”.

“A vida cristã é uma experiência vivida: então as pessoas precisam ser ajudadas a realizar essa experiência de maneira válida e eficaz. É também um caminho: pois então, é preciso empreender o caminho e andar por ele, descobrindo, pouco a pouco, para onde ele leva”, afirma o arcebispo.

A vida cristã “é ainda um ‘discipulado’, uma experiência dinâmica e envolvente; e, como nos recomendou a Conferência de Aparecida, aprende-se a ser discípulo na medida em que se está com o Mestre”.

A iniciação à vida cristã é “um processo gradual e progressivo de evangelização, de conhecimento de Jesus Cristo, de envolvimento com ele e com a comunidade eclesial, na qual se vai entrando passo a passo. Vale para quem já foi batizado, mas não evangelizado; e vale ainda mais para adultos que ainda não foram batizados e o desejam”.

“Esse método coloca diante dos olhos o mistério de Deus, que se manifesta no mistério de Cristo, caminho, verdade e vida, Aquele que tem ‘palavras de vida eterna’. Jesus é o rosto humano de Deus e o rosto divino do homem e está no centro de nossa experiência de fé cristã. Nós não nos relacionamos com teorias e verdades abstratas, mas com a pessoa de Jesus Cristo, crucificado, morto e ressuscitado.”

O cardeal Scherer considera que, para “sermos uma Igreja em estado permanente de missão, precisamos inovar em nossos métodos de evangelização; caso contrário, continuando simplesmente nosso ritmo, atingiremos sempre menos pessoas”.