Mulheres católicas criticam tema do Dia Mundial da População

| 1087 visitas

NOVA YORK, quarta-feira, 18 de julho de 2007 (ZENIT.org).- A líder da União Mundial de Organizações de Mulheres Católicas (UMOFC) disse que o tema para o Dia Mundial da População da UNO, assim como é entendido pelo seu secretário-geral, Ban Ki-moon, promove a morte de crianças inocentes.



Karen Hurley o afirmou em uma carta escrita no dia 12 de julho ao secretário-geral da ONU, comentando o tema do dia mundial de 11 de julho, «Os homens como aliados na saúde reprodutiva».

A mensagem de Ban Ki-moon para o acontecimento se centralizava «no papel fundamental dos homens em apoio aos direitos da mulher, incluindo seu direito à saúde sexual e reprodutiva».

Hurley escreve em sua carta: «enquanto o tema de sua mensagem para o Dia Mundial da População 2007 é admirável, os custos da ajuda descrita nele são as vidas de incontáveis crianças inocentes».

E acrescenta: «Os esposos selam seu amor e compromisso mediante a união sexual que as promessas do matrimônio implicam».

«O uso da contracepção ou esterilização permite a um esposo tratar do outro mais como um objeto que como uma pessoa, ou, em último termo, leva os governos a impor leis limitando o tamanho da família.»

«O aborto prejudica a saúde e a dignidade das mulheres, ao mesmo tempo em que acaba coma vida da criança não-nascida.»

Hurley conclui que «uma resposta muito mais compassiva seria proporcionar apoio e serviços às mulheres grávidas e às suas famílias, promover o status educativo e econômico das mulheres na sociedade e eliminar as formas de violência e discriminação contra as mulheres, incluindo o aborto e o infanticídio».

A UMOFC foi fundada em 1910 e está composta por mais de cem organizações de mais de sessenta países.