Multiculturalidade e religiões entre os imigrantes

Dados citados pela Santa Sé

| 1146 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 26 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – Na coletiva de imprensa em que se apresentou ontem a mensagem do Papa para o próximo Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, foram fornecidos números de migrantes no mundo que revelam a tendência a sociedades pluriculturais e de diferentes religiões, cada vez menos homogêneas.

Em 2009, havia 38,5 milhões de imigrantes nos Estados Unidos, dos quais pouco menos de um terço era composto por mexicanos (11.478.234), o grupo mais numeroso no país. Seguiam três países asiáticos: Filipinas (1.733.864), Índia (1.665.055) e China (excluídos Hong Kong e Taiwan) (1.425.814). El Salvador é o país de origem de outras 1.157.217 pessoas e o Vietnã, de 1.149.355. Da Coreia procedem 1.012.911 imigrantes e de Cuba, 982.862 pessoas (fonte: Perfil Estatístico da População Estrangeira nos Estados Unidos, 2009, do Pew Hispanic Center).

Portanto, os Estados Unidos, que tem maioria cristã, sobretudo protestante, acolhe não só católicos, mas hinduístas, budistas, muçulmanos, taoístas e confucionistas.

Na Federação Russa, da qual é mais difícil ter estatísticas detalhadas, os imigrantes chegam sobretudo do Cazaquistão (cerca de 1,9 milhão de pessoas, entre 1989 e 2007) e, com fluxo similar, chegam do Quirguistão, Tajiquistão, Turcomenistão e Uzbekistán (fonte: Russian Federation, Country Profile, Focus Migration, n. 20, July 2010).

A Rússia é um país de tradição cristã-ortodoxa e é agora país de acolhimento de imigrantes muçulmanos dos países da ex-URSS.

Na União Europeia, o número mais elevado de imigrantes está na Alemanha, França, Reino Unido e Espanha (para todos os países europeus, as estatísticas citadas são as do International Migration Outlook, OECD-SOPEMI 2010, Table B.1.5. Stock of foreign population by nationality).

Em 2008, na Alemanha, havia uma população imigrante de 6.727.600 pessoas de diversa nacionalidade. Entre eles, os turcos eram os mais numerosos (1.688.400), seguidos por italianos (523.200), poloneses (393.800) e gregos (287.200).

Na Alemanha evangélica, residem agora católicos poloneses e italianos, ortodoxos gregos e muçulmanos turcos.

Na França, em 2006, os imigrantes eram 3.541.800, sobretudo portugueses (490.600), argelinos (481.000) e marroquinos (460.400), seguidos por turcos (223.600), italianos (177.400) e tunisianos (145.900).

Neste estado leigo, em que a maioria pertence à Igreja Católica, há agora muitos muçulmanos.

No Reino Unido, em 2008, de 4.196.000 imigrantes, os grupos mais numerosos eram poloneses (500.000), irlandeses (359.000) e indianos (295.000), com uma notável presença também de paquistaneses (178.000) e franceses (124.000).

Chegaram católicos poloneses, irlandeses e franceses, indianos de maioria hindu, mas também muçulmanos, católicos e sij, além de paquistaneses de maioria muçulmana.

Na Espanha, tradicionalmente católica, chegaram 5.598.700 imigrantes, dos quais a maioria é formada por romenos (796.600), em sua maioria ortodoxos, marroquinos muçulmanos (710.000), equatorianos católicos (413.700) e cidadãos do Reino Unido, de maioria anglicana (374.600).

Na Arábia Saudita, os imigrantes em 2005 provinham sobretudo de: Índia, Egito, Paquistão, Filipinas, Bangladesh, Iêmen, Indonésia, Sudão, Jordânia e Sri Lanka (Fonte: World Bank, 2008, Migration and Remittances Factbook). Ainda que a maior parte é formada por países de maioria muçulmana, estão também a Índia, de maioria hindu, Filipinas, com maioria católica, e Sri Lanka, com 70% de budistas e 15% de hinduístas.

O próprio Sudão, de maioria muçulmana, está habitado por cristãos, que são um grupo numericamente relevante.

No Canadá, onde havia 6.187.000 imigrantes em 2006, o grupo mais numeroso provinha do Reino Unido (579.600 pessoas). Os laços históricos podem desempenhar um papel importante neste tipo de fluxo. Então, havia chineses (466.900) e indianos (443.700). Havia também filipinos (303.200), italianos (296.900) e americanos (250.500) (Fonte: Statistics Canada, 2006 Census of Population).

Também no Canadá cristão, além dos cristãos do Reino Unido e dos Estados Unidos, os católicos das Filipinas e da Itália, há imigrantes hinduístas da Índia, bem como budistas, muçulmanos, taoístas e confucionistas, sobretudo da China.