Na Ucrânia, "não há espaço para a violência brutal e derramamento de sangue"

Apelo do Patriarca Bartolomeu I às autoridades ucranianas para proteção da dignidade dos cidadãos

Czestochowa, (Zenit.org) Don Mariusz Frukacz | 262 visitas

“Basta com o derramamento de sangue na Ucrânia”. O premente apelo vem do Patriarca Ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I, em mensagem que convida os fiéis e todas as pessoas de boa vontade a rezar sem cessar e rápido pelo país que está abalado pela violência, para que se chegue a uma "solução pacífica e razoável".

"Com o coração cheio de dor - diz a mensagem do Patriarca – acompanhamos o que está acontecendo, aliás, o agravamento da trágica situação na Ucrânia nas últimas semanas". "Nós sentimos que os nossos irmãos e irmãs na Ucrânia são a nossa carne e o nosso sangue", acrescenta. Em um país "cujas raízes cristãs remetem ao primeiro milênio", em uma nação "democrática do século XXI, não há espaço para a violência brutal e o derramamento de sangue”.

"Em nossa grande responsabilidade como Patriarcado Ecumênico de Constantinopla - diz Bartolomeu - somos impelidos a pedir paz às autoridades de uma nação democrática e independente, onde os líderes eleitos - tanto o governo como a oposição - têm a responsabilidade de proteger a dignidade da vida humana de seus cidadãos".

O Patriarca denuncia "qualquer forma de violência e agressão entre a polícia e os manifestantes, que leva à perda inútil de vidas inocentes". " Todas as partes - continuou - devem a qualquer custo, fazer prevalecer o diálogo sobre a desordem e a força".

Bartolomeu recordou as celebrações do 1025 º aniversário do Batismo cristão da Rus  de Kiev: “no rastro dos nossos predecessores na Igreja de Constantinopla" e "em nome da liberdade concedida por Deus a todos os homens como um dom divino", portanto, condena "a atual brutalidade implacável" e insiste na busca por "uma solução pacífica e razoável para os problemas internos da Ucrânia para o bem de seu povo e para a glória de Deus”.