Não façam política com o casamento

A Christian Concern defende o conceito tradicional de família na Grã-Bretanha

| 1144 visitas

Por Ann Schneible

LONDRES, sexta- feira, 23 de março de 2012 (ZENIT.org) - Com o governo britânico rumando para a legalização do casamento homossexual, aumenta o receio de consequências catastróficas para a sociedade caso o matrimônio seja redefinido para incluir os casais do mesmo sexo.

O governo britânico iniciou a revisão formal de um projeto de lei publicado pelo grupo Stonewall, de defesa dos direitos gays. O grupo propõe a alteração da definição jurídica de casamento, eliminando qualquer referência ao sexo.

O matrimônio é a base da sociedade e por isso é preocupante que o governo "faça política com o casamento" e coloque a sociedade no risco de consequências imprevistas. "Tudo vem daí: de um homem e de uma mulher que se comprometem por toda a vida e que têm filhos dentro do núcleo que eles construíram", afirma a ZENIT Andrea Williams, diretora da organização Christian Concern, acrescentando: "Se a família é forte, há uma cidade forte, uma sociedade e uma comunidade forte".

"Mas se o primeiro núcleo da sociedade estável é quebrado, as repercussões são enormes. É por isso que é essencial que o Estado dê valor ao casamento, aceite e crie leis que o sustentem como um grande legado, que o protejam e melhorem para o bem de todos. Mas o governo só está fazendo política com o casamento. Eles estão fazendo experimentos de engenharia social de massa que podem ter consequências devastadoras para o bem-estar da sociedade".

De acordo com Williams, em 2005, a legalização das uniões civis no Reino Unido aumentou o processo de avanço da sociedade em direção à redefinição do casamento para incluir casais do mesmo sexo,
independentemente do fato de as uniões civis oferecerem praticamente as mesmas proteções legais aos parceiros do mesmo sexo e aos casais. "Devemos lembrar que não se trata apenas de redefinir o casamento, mas de redefinir a família. Primeiro as uniões civis, depois o casamento e a família".

“O casamento é para a procriação dos filhos. O casamento gay deliberadamente nega às crianças uma mãe e um pai. É um experimento social de massa, e eu não acho que o governo realmente refletiu sobre isso”, completa Williams.

"Gostaríamos muito que pessoas de todo o mundo escrevessem a David Cameron [o primeiro-ministro britânico] para pressionar o governo. Agências, organizações religiosas, agências de viagens... As pessoas podem escrever para Cameron e dizer: Não façam política com o casamento. É perigoso demais. E os olhos do mundo estão observando você".