«Não tenhais medo. Confiança Esperança Estilo Crente»

Mensagem de Fátima é mensagem de confiança e de esperança

Roma, (Zenit.org) | 523 visitas

Terminou na manhã de sábado em Fátima o simpósio teológico-pastoral «Não tenhais medo. Confiança – Esperança – Estilo Crente», uma iniciativa do Santuário de Fátima, inserida no conjunto das propostas do 3.º ciclo celebrativo do Centenário das Aparições.  Participaram nos trabalhos, que decorreram no Centro  Pastoral Paulo VI, à volta de 350 pessoas.  Cerca de 250 acompanharam as várias conferências e painéis à distância, através da internet, uma vez que o simpósio foi transmitido em direto on line.

Confiança e esperança são duas palavras-chave da mensagem de Fátima.

“A mensagem de Fátima é fundamentalmente uma mensagem de esperança e, por isso, um apelo à confiança” afirmou o padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, na sessão de encerramento.

“Ao longo de três dias intensos, partindo da exortação «Não tenhais medo», à luz da mensagem de Fátima, fomos aprofundando as razões para a confiança e a esperança e identificado o estilo crente adequado ao nosso tempo presente, capaz de testemunhar de forma significativa a presença que nos habita”, recorda e sublinha o reitor.

Para o padre Carlos Cabecinhas,  “em Fátima, Nossa Senhora veio convidar os pequenos videntes e vem convidar-nos a nós a reconhecer a presença de Deus no nosso mundo e nas nossas vidas; vem garantir-nos que não estamos sós nas dificuldades da vida, pois Deus nunca nos abandona".

A leitura de D. António Marto é semelhante: “em Fátima, a Virgem Mãe trouxe uma mensagem de conforto, de consolação e de esperança à Igreja ferozmente perseguida e à humanidade caída no inferno das guerras mundiais, dos totalitarismos, dos genocídios, da solidão e do desespero".

Para o prelado de Leiria-Fátima, “as palavras dirigidas aos pastorinhos, as mesmas que ela nos dirige a nós, seus filhos, testemunham o desejo do seu coração materno de transmitir-nos a certeza de que Deus não nos abandona, não abandona a sua Igreja, mas no meio das tempestades do mundo, guia-a e sustém-na”.

“Faço votos que este simpósio tenha ajudado a tornar o nosso Santuário de Fátima um lugar e uma fonte de esperança e que possa ajudar a desenvolver uma pastoral da esperança”, afirmou D. António Marto na sessão conclusiva.

Mensagem de Fátima: negação da insensatez, afirmação da sabedoria

Uma das conferências que procurou sublinhar em concreto o significado e o apelo de Fátima como lugar e mensagem de esperança para o mundo foi a de D. Virgílio Antunes, bispo de Coimbra: "ao longo destas nove décadas, Fátima nunca deixou de ser um lugar a apontar para Deus como o caminho da humanidade e como uma mensagem de alcance universal. Apesar de ser uma revelação privada, aponta para a centralidade da mensagem evangélica e, portanto, é portadora de um dinamismo intemporal, pois foca, por um lado, Deus e a fé cristã e, por outro, o Homem e a sua salvação no tempo e na eternidade".

Lugar de atração de católicos de todo o mundo, Fátima é lugar onde “chegam igualmente os agnósticos e ateus, mais ou menos militantes, numa perspetiva crítica e à procura de reforçar as suas convicções”.

Fátima tornou-se ainda, considera o bispo de Coimbra e antigo reitor do Santuário de Fátima (2008-2011), “lugar de passagem para muitos buscadores de Deus, pessoas que se interrogam acerca da vida, do princípio e do fim, do sofrimento e da morte, que ainda não chegaram ao conhecimento da fé”.

Para D. Virgílio Antunes, “Fátima não é somente um lugar, mas uma mensagem, cuja caraterística fundamental é a referência a Deus. […] O cerne de toda a mensagem de Fátima é, sem dúvida, a negação de todas as formas de ateísmo e a profissão de fé em Deus como caminho do Homem e única possibilidade de esperança, ou seja a negação da insensatez e a afirmação da sabedoria”.

D. António Marto exorta cristãos a dar testemunho da sua esperança

D. António Marto, que presidiu esta manhã à Eucaristia oficial das 9:00, celebrada na Basílica da Santíssima Trindade, exortou os cristãos a darem testemunho da sua esperança: Jesus Cristo.

“Estamos num modelo de sociedade e de mundo, que construímos, que está esgotado; os cristãos são chamados a construir um mundo melhor”, afirmou o bispo de Leiria-Fátima durante a homilia da celebração, em que falou de Jesus como “salvador, que nos liberta do pecado, que nos oferece a vida boa e bela, a vida em plenitude”.

Sendo Cristo a esperança e a Igreja comunidade de esperança, torna-se necessário, exorta D. António Marto, “dar um rosto belo a esta esperança”. “Somos fraternidade. (…) É um projeto para se viver no dia a dia, a começar pela nossa casa, na nossa família”, disse.

Artigo enviado por LeopolDina Reis Simões da Arquidiocese de Fátima