Natal ortodoxo: patriarca apresenta solução para crise

“A verdade é o valor fundamental da existência”

| 1944 visitas

MOSCOU, quinta-feira, 7 de janeiro de 2010 (ZENIT.org).- O patriarca de Moscou apresentou no Natal ortodoxo, que foi celebrado nesta quinta-feira (segundo o antigo calendário juliano), a solução para a crise global que a humanidade está vivendo: “A verdade é o valor fundamental da existência”.

Esta é a mensagem que Sua Beatitude Kirill deseja em meio à crise global, que também afetou seriamente a Rússia no ano passado e que, como explica, não é só econômica, mas acima de tudo moral.

O ato central das festas natalinas teve lugar durante a noite na catedral de Cristo Salvador, onde o patriarca celebrou sua primeira Divina Liturgia de Natal (foi eleito patriarca a 27 de janeiro de 2009), transmitida ao vivo pela televisão estatal.

No ato litúrgico participou o presidente da Rússia, Dmitri Medvédev, e sua esposa, Svetlana, junto a seis mil fiéis que encheram templo.

Segundo pesquisas, dois de cada três russos celebram o Natal. Cerca de 135 mil fiéis participaram dos cultos nas igrejas de Moscou, cujo número só nos últimos oito anos aumentou de 400 para 800, e também foram celebradas missas nos 30 mil templos da Igreja Ortodoxa por toda Rússia e em outros países do mundo.

O primeiro-ministro e ex-presidente Russo Vladimir Putin aproveitou as festas para anunciar a devolução à Igreja Ortodoxa Russa do emblemático mosteiro Novodévichy (das Donzelas), cujo cemitério se encontra entre os mais famosos da Rússia, sendo filial do Museu Histórico Estadual.

Na mensagem que escreveu para este Natal, o patriarca explica que “a verdade é o valor fundamental da existência. Se os fundamentos de nossas vidas são mentiras, então nossas vidas não se realizam”.

“A substituição da verdade por falsos valores explica em grande parte o significado cada vez maior do chamado “fator humano” nos trágicos acontecimentos que matam centenas de vidas”, relatou o chefe da Igreja Ortodoxa Russa.

“Isso explica a crise que esta tendo um impacto global na economia, na política, no meio ambiente, na vida familiar, nas diferenças entre gerações, e em outros muitos aspectos”, disse, deixando uma mensagem que se inspira nas mesmas raízes evangélicas da última encíclica "Caritas in veritate" de Bento XVI.

O Papa cumprimentou em 6 de janeiro, dia da Epfania, as Igrejas Ortodoxas por ocasião do Natal. O mesmo patriarca Kirill havia cumprimentado a Bento XVI por motivo do Natal Ocidental e do ano novo.

“Nas circunstâncias da civilização moderna, na qual muitas pessoas perdem seu ponto de referência espiritual e moral, que a estrela de Belém siga mostrando o caminho feito pelo Senhor a todos que buscam a luz da Verdade Divina”, desejou o patriarca na mensagem enviada ao Papa, que foi citada na página oficial do Departamento para Relações Exteriores do Patriarcado de Moscou.