Ninguém pode tocar a Cruz de Jesus sem deixar algo de si mesmo nela e sem trazer algo da Cruz de Jesus para sua própria vida

O Santo Padre Francisco participou da Via Sacra com os peregrinos na praia de Copacabana nessa sexta-feira

Rio de Janeiro, (Zenit.org) Thácio Siqueira | 2398 visitas

Durante a noite de ontem o Santo Padre Francisco presidiu o terceiro grande evento central da Jornada Mundial da Juventude, na Praia de Copacabana: O Via Crucis.

Mais de 1,5 milhões de fieis lotavam a Avenida Atlântica, a praia e ruas vizinhas. O bairro de Copacabana foi totalmente bloqueado para saída e entrada de veículos. Um mar de jovens se podia ver a partir do Pit dos jornalistas, praticamente uma estrutura de três andares localizada diante do palco central dos eventos. Um mar interminável de peregrinos, quase maior do que o próprio oceano atlântico que limitava aquela multidão.

“Ninguém pode tocar a Cruz de Jesus sem deixar algo de si mesmo nela e sem trazer algo da Cruz de Jesus para sua própria vida”, começou dizendo o Papa nas palavras que pronunciou durante o Via Crucis. O pontífice articulou suas Palavras em três perguntas, fazendo referência à cruz peregrina que passou por todas as regiões do País durante esses dois anos prévios da JMJRio 2013: O que vocês terão deixado na cruz?, O que a cruz deixou em vocês?, O que esta cruz ensina para a nossa vida?

O que vocês terão deixado na cruz?

”Uma antiga tradição da Igreja Romana conta que o apóstolo Pedro saindo da cidade para escapar da perseguição de Nero, viu Jesus que ia na direção contrária e em seguida perguntou: ‘Senhor, aonde vais?’ A resposta de Jesus foi: ‘vou a Roma para ser crucificado de novo’”, disse Papa Francisco. Nessa situação Pedro se deu conta de que não podia fugir, “mas entendeu principalmente que nunca estava só no caminho”, porque Jesus “carrega os nossos medos, nossos problemas, nossos sofrimentos, também os mais profundos”.

Com a Cruz Jesus está ao lado de todos os que sofrem, “na cruz, Jesus está junto de tantos que perderam a sua confiança nas instituições políticas porque veem o egoísmo e corrupção, ou que perderam a sua fé na Igreja, e até em Deus, pela incoerência dos cristãos e dos ministros do Evangelho”, afirmou o Papa.

O que a cruz deixou em vocês?

A cruz nos deixa um bem que ninguém mais pode dar-nos: “a certeza do amor fiel de Deus por nós”. E olhando para os jovens, disse o Papa “Queridos jovens, confiemos em Jesus. Porque Ele nunca defrauda ninguém”. Ele transformou o significado da cruz, “transformou a Cruz de ser um instrumento de ódio, e de derrota, e de morte, em um sinal de amor, de vitória, de triunfo e de vida”

O Pontífice recordou que o primeiro nome do Brasil foi Terra de Santa Cruz. E assim “A cruz de Cristo não foi plantada só na praia há cinco séculos, mas também na história, no coração e na vida do povo brasileiro, e em muitos outros povos”.

O que esta cruz ensina para a nossa vida?

Essa cruz “nos ensina a olhar para o outro com misericórdia e amor, principalmente o que sofre, o que precisa de ajuda, quem espera uma palavra, um gesto”. O Papa recordou que muitos rostos acompanharam Jesus no caminho do Calvário: Pilatos, o Cireneu, Maria, as mulheres...

E interpelando os jovens perguntou-lhes com uma força que ressoou por toda a praia de Copacabana: “Vocês querem ser como quem? Digam-me: vocês são daqueles que lavam as mãos, fingem não ver e olham para o lado, ou são como o Cireneu, que ajuda Jesus a levar aquele pesado madeiro, como Maria e as outras mulheres, que não têm medo de acompanhar Jesus até o final, com amor, com ternura”. Por fim, disse o Papa: “Jesus está olhando para você agora e lhe diz: você quer me ajudar a carregar a cruz? Irmão, irmã, com toda a sua força jovem, o que lhe respondes?”.