Nossa Senhora de Covadonga ficou em uma gruta na Venezuela

Em Chichiriviche, levaram-na em peregrinação pelo mar

| 1311 visitas

CHICHIRIVICHE, quinta-feira, 29 de novembro de 2007 (ZENIT.org).- Uma imagem de Nossa Senhroa de Covadonga ficou colocada em uma gruta, conhecida como o Santuário Mariano de Nossa Senhora «de la Roca», em Chichiriviche, no município Dom Iturriza, estado Falcón, Venezuela, informa Elvira Morcillo desde o país caribenho.

A imagem é conhecida pelos habitantes de Boca de Tocuyo como a Virgem de São Pedro Poveda e foi doada pela Instituição Teresiana, cujos membros trabalham lá na formação de catequistas, jovens e crianças.

No altar da igreja de Boca de Tocuyo, há uma relíquia de São Pedro Poveda e seus habitantes se interessaram tanto pelo santo sacerdote espanhol mártir em 1936, que no final de outubro levaram a imagem da «Santinha» em peregrinação pelo mar, único acesso à gruta, na qual há imagens marianas.

Uniram-se 85 peregrinos em sete lanchas. Em uma delas ia a imagem de Nossa Senhora, acompanhada pelo pároco. A travessia durou cerca de quarenta minutos.

Interpretaram-se cantos marianos e os jovens «Amigos de Poveda» cantaram e balançaram suas bandeiras dedicadas à Virgem.

Enquanto se instalava a imagem, escalando a rocha, rezaram alguns mistérios luminosos do terço de João Paulo II.

Pura Emeterio, da Instituição Teresiana, fez uma apresentação da espiritualidade mariana de São Pedro Poveda para que todos conhecessem o sentido da peregrinação.

O sacerdote Elias Sánchez, jovem pároco do município, abençoou a imagem da Virgem e disse que se conseguiu a peregrinação graças ao pedido feito pelas pessoas de Boca de Tocuyo e recordou que São Pedro Poveda preside a paróquia de Boca de Tocuyo.

Aura Zavala de Espinosa e Alecia de Colina, professoras aposentadas de Boca de Tocuyo, explicaram que o povo entendeu que a Instituição Teresiana foi pensada por Pedro Poveda aos pés da Santinha, e solicitaram uma imagem e a realização da peregrinação. Queriam que Nossa Senhora de Covadonga ficasse com o povoado, e assim poderia compartilhar suas alegrias, esperanças e também suas tristezas.

Desde as lanchas, um representante de Boca de Tocuyo, de Chichiriviche, de Tocuyo da Costa e da Instituição Teresiana, como oferentes, elevaram orações Nossa Senhora de Covadonga.

Luis Ernesto Robles, professor, pediu que a tarefa educadora realizada seja eficaz e consiga formar crianças e jovens com as características do humanismo cristão promovido por São Pedro Poveda.

A família de Julio e Nogdenys Arteaga, com seus filhos Miguel e Enmanuel, de Tocuyo de la Costa, que celebram em sua casa a Assembléia Familiar, na qual lêem a Palavra, pediram a Nossa Senhora de Covadonga que cada família do povoado persevere na fé e saiba formar de maneira cristã os seus filhos.

Reina de Alvarado e Coromoto Rojas, de Chiriviche, ofereceram à Virgem o trabalho dos barqueiros e pediram que não lhes faltasse o sustento diário. Apresentaram as barcas para que fossem abençoadas pela Virgem.

Alguns fizeram orações espontâneas, como José Alejo Arteaga, que teve a idéia de trazer a relíquia de Poveda a Boca de Tocuyo. Agradeceu a presença da Instituição Teresiana e expressou seu desejo de que cresça o compromisso e o amor a Nossa Senhora em todos os povos do município Dom Iturriza.

Aura Zavala elaborou um estandarte com a fotografia do santo e a frase: «Da fé nasce o amor, com este se adquire a fortaleza e por ele se sofre com perseverança».