Nota de Falecimento de Dom Eduardo Koiak

Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro reflete sobre o falecimento

| 1038 visitas

RIO DE JANEIRO, segunda-feira, 27 de agosto de 2012 (ZENIT.org) - Publicamos a seguir nota enviada a ZENIT por Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, sobre falecimento de Dom Eduardo Koiak, bispo emérito da Diocese de Piracicaba.

***

Dom Eduardo Koaik,

Bispo auxiliar em nossa Arquidiocese de 1974 a 1979 e atualmente Bispo Emérito da Diocese de Piracicaba.

Com imenso pesar tomamos conhecimento ainda ontem mesmo, em Aparecida, logo após a Missa que lá celebramos que, na madrugada de ontem, depois de três anos de bravo amor à vida, lutando com dignidade contra um câncer, entregou a sua alma a Deus, Sua Excelência Reverendíssima, Dom Eduardo Koiak, Bispo Emérito de Piracicaba, no Estado de São Paulo.

O seu sepultamento será na próxima segunda-feira, dia 27 de agosto de 2012, na Catedral Diocesana de Santo Antônio, às 10hs. Nossa saudação fraterna a D. Fernando Mason, nosso irmão no Episcopado, que pedimos que transmita ao seu querido povo, assim como aos familiares de D. Koaik, a nossa proximidade e unidade, e conosco, de toda a nossa Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Dom Eduardo foi ordenado presbítero em 08 de abril de 1950. Em 22 de outubro de 1973 ele foi nomeado pelo Papa Paulo Vi para Bispo titular de Noba e auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. Foi consagrado bispo em 06 de janeiro de 1974, pelo Eminentíssimo Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales. Em nossa Arquidiocese trabalhou com afinco e dedicação até ser nomeado em 07 de dezembro de 1979 ser promovido para Bispo Coadjutor de Dom Aníger, em Piracicaba. Em 11 de janeiro de 1984 tornou-se terceiro Bispo de Piracicaba. Governou, com zelo de Bom Pastor, a Igreja Particular de Piracicaba até 05 de julho de 2002, que por força de idade, tornou-se bispo emérito.

Dom Eduardo, em seus 86 anos de vida; 62 anos de profícuo ministério sacerdotal e quase 38 anos de episcopado nos ensinou “construir a caridade”.  Agora, no céu, Dom Eduardo torna-se nosso intercessor junto de Deus.

O Catecismo da Igreja Católicarecorda-nos que, graças à obediência de Cristo, a morte cristã assume um novo significado positivo, como passagem deste mundo para o Pai:  "pelo Batismo, o cristão já "morreu com Cristo" sacramentalmente para viver uma vida nova; se morremos na graça de Cristo, a morte física consuma este "morrer com Cristo" e leva assim a cabo a nossa incorporação n'Ele, no seu ato redentor" (n. 1010).

Enquanto recordamos com particular afeto o saudoso Dom Eduardo Koaik, que tantos benefícios fez pela Igreja Metropolitana do Rio de Janeiro, entre os quais a construção da Igreja Matriz da Paróquia da Ressurreição em Copacabana, Professor e Diretor Espiritual do Seminário Maior e Menor de nossa Arquidiocese, Assistente eclesiástico diocesano, regional e nacional da JEC da Ação Católica, Pároco, Vigário Episcopal e Geral. Por ele, incorporado a Cristo com o Batismo, se conformou com Ele mediante a plenitude do Sacerdócio, elevamos por Sua Excelência Reverendíssima fervorosas súplicas ao  Senhor para que goze eternamente do prêmio celeste prometido aos bons e fiéis operários do Evangelho.

Rio de Janeiro, RJ, 26 de agosto de 2012.

† Orani João Tempesta, O. Cist.

  Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ