Nova Evangelização: vivificar a nossa fé para contagiar a todos

Prelado do Opus Dei: todos são convidados a santificação pessoal

| 966 visitas

H. Sergio Mora

ROMA, sexta-feira, 05 de outubro de 2012. (ZENIT.org). - O objetivo da nova evangelização é querer que os cristãos se santifiquem na vida cotidiana, de maneira que vivificados na fé consigam contagiar a todos. É a idéia proposta pelo prelado do Opus Dei, Javier Echevarria, que participará como Padre Sinodal na XIII Assembléia Eclesial que será realizada em Roma de 7 a 24 deste mês.

Indicou o prelado ao entrar no auditório da Universidade de Santa Cruz, por ocasião dos dez anos do programa Harambee em favor da África, que o Opus Dei lançou na ocasião da canonização de seu fundador, o sacerdote espanhol Josemaría Escrivá Balaguer.

"Nova evangelização e santificação na vida cotidiana - disse a ZENIT – estão juntas. Não se pode separar uma da outra, se não formos verdadeiros católicos em nossas vidas cotidianas não podemos anunciar o evangelho”.

"São Josemaria Escrivá- continuou o prelado espanhol - disse-nos que tudo na vida é importante porque nos leva a Deus e à amizade com Ele”.

Em entrevista à rede de televisão Rai Uno, Echevarría recordou que a Nova Evangelização diz respeito a todos. "Para todos nós que somos Igreja, bispos, religiosos e leigos. Todos nós devemos esperar que este Sínodo nos ajude a reavivar a nossa fé. Se trata de servir as pessoas não apenas no social, mas também de contagiar com esta fé que vivifica a vida de todos”.

O prelado enfatizou a idéia de Bento XVI de que a Nova Evangelização começou com o Concílio Vaticano II: "Sem dúvida, pois o Concílio Vaticano II afirma que todos, absolutamente todos são chamados à santidade, não há ninguém na Igreja que seja excluído desta finalidade maravilhosa”.

No auditório da Universidade, onde se realizou a mostra pela jornada de Harambee, o prelado fez um convite: "Depois de amanhã começa o Sínodo sobre o tema da Nova Evangelização e a transmissão da fé cristã, por isso eu os convido a rezar por esta intenção”.

"No décimo aniversário da canonização de São Josémaria Escrivá - continuou -, podemos recorrer à sua intercessão: que esta Assembléia eclesial sirva para lembrar ao mundo que a santidade não se limita a ser uma meta para privilegiados, mas, como confirmado pelo Concílio Vaticano II é um convite universal, acessível a todo homem e mulher de boa vontade”.

"Rezemos a fim que este Sínodo - concluiu D. Javier – contribua em conjunto com o iminente Ano da Fé, a dilatar muitos corações", para que estes "com a graça de Deus, sejam motores para outras conversões e para transformar o contexto social, em harmonia com a dignidade humana e com a glória de Deus à qual o homem está destinado”.

(Trad.MEM)