Novidade do sacerdócio de Cristo, protagonista dos exercícios espirituais do Papa

E da Cúria Romana, pregados pelo cardeal Albert Vanhoye

| 1117 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008 (ZENIT.org).- A novidade do sacerdócio de Cristo, exemplo de humildade e solidariedade, foi o fio condutor dos exercícios espirituais que Bento XVI e seus colaboradores da Cúria Romana viveram durante esta Quaresma, no Vaticano.

O tema escolhido pelo pregador, o cardeal jesuíta Albert Vanhoye, antigo secretário da Comissão Pontifícia Bíblica, de 84 anos, foi «Acolhamos Cristo, nosso sacerdote».

Na manhã do último dia, na mesma capela em que foram pregados os exercícios, «Redemptoris Mater», o Papa pronunciou um discurso de agradecimento e de síntese dessa semana de pregações.

O pontífice recordou o momento no qual Cristo lavou os pés dos seus apóstolos para condensar graficamente as reflexões do pregador sobre a novidade do sacerdócio de Jesus.

«Através de suas meditações, esta imagem me interpelou – confessou o Papa. Vi como precisamente neste comportamento, neste ato de máxima humildade, realiza-se o novo sacerdócio de Jesus.»

«E se realiza precisamente no ato da solidariedade conosco, com nossas fraquezas, com nosso sofrimento, com nossas provações, até a morte», acrescentou.

«Deste modo, vi com novos olhos as vestiduras vermelhas de Jesus, que nos falam de seu sangue», disse.

«O senhor nos ensinou como o sangue de Jesus estava, por causa de sua oração, ‘oxigenado’ pelo Espírito Santo. E desta maneira se converteu em força de ressurreição e em fonte de vida para nós.»

Bento XVI elogiou a «competência teológica» e a «profundidade espiritual» que animaram as reflexões do cardeal francês, e que permitiram «escutar a voz do Senhor» e «aprender assim novamente o que é seu sacerdócio e nosso sacerdócio».

«Ele nos ajudou a entrar na participação no sacerdócio de Cristo e, deste modo, a receber o novo coração, o coração de Jesus, como centro do mistério da nova Aliança», concluiu.