Novo Núncio na Colômbia apresenta credenciais ao presidente Uribe

Intervenção humanitária da Igreja para conseguir a permuta de 50 reféns

| 485 visitas

Por Nieves San Martín

 

BOGOTÁ, quinta-feira, 17 de janeiro de 2008 (ZENIT.org).- O novo núncio apostólico na Colômbia, Dom Aldo Cavalli, apresentou suas credenciais ante o presidente Álvaro Uribe Vélez, ontem, 16 de janeiro, na Casa de Nariño, segundo informou a Conferência Episcopal Colombiana.

Neste mesmo dia, o presidente dos bispos colombianos anunciou uma iniciativa humanitária da Igreja para conseguir a troca de 50 reféns que estão nas mãos da guerrilha das FARC.

Segundo o comunicado dos bispos colombianos, o núncio Cavalli «aproveitou o encontro com o Chefe de Estado para conversar ‘sobre temas de diversa índole’», segundo informou a Presidência da República.

Dom Cavalli chegou à Colômbia em 13 de janeiro passado. Nasceu em Lecco (Itália) em 1946, foi ordenado sacerdote em 1971 e ingressou há 18 anos no serviço diplomático da Santa Sé, desempenhando cargos na Secretaria de Estado, Burundi, Santo Tomé e Angola.

Licenciado em Ciências Políticas, Dom Cavalli fala espanhol, inglês e francês, além de seu italiano natal. O arcebispo deixou a nunciatura apostólica do Chile, à qual chegou nomeado por João Paulo II em junho de 2001.

Substitui na Colômbia Dom Beniamino Stella, de 66 anos de idade, que foi designado ao final de 2007 por Bento XVI para dirigir a Academia Pontifícia Eclesiástica em Roma.

Neste mesmo dia, o presidente da Conferência Episcopal da Colômbia, Dom Luis Augusto Castro, bispo de Tunja, anunciou à mídia que o organismo queele representa decidiu colaborar, junto a outras entidades e instituições, para conseguir um acordo humanitário com a guerrilha das FARC em favor de aproximadamente 50 reféns (entre eles a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt) por cerca de 500 guerrilheiros presos.

Segundo informou Dom Castro, já se realizaram os primeiros contatos com a guerrilha para analisar uma «área de encontro» com supervisão internacional, na qual delegados de ambas partes, sem presença de homens armados, possam avançar para um acordo.

Dom Castro disse que também se pediu às FARC que permitam à Cruz Vermelha Internacional que acesse os acampamentos para comprovar o estado de saúde dos seqüestrados, uma demanda feita também pelo presidente Álvaro Uribe.

O presidente dos bispos colombianos fez estas declarações ao sair de um encontro com as associações empresariais.

«O que podemos dizer é que estamos trabalhando com muito entusiasmo, com muito interesse», concluiu Dom Castro.