Novo Patriarca Latino para Jerusalém

Sua Beatitude Fouad Twal sucede Sua Beatitude Michel Sabbah

| 569 visitas

JERUSALÉM/ROMA, domingo, 22 de junho de 2008 (ZENIT.org).- No dia em que a Santa Sé anunciava oficialmente a nomeação do novo patriarca latino de Jerusalém, Sua Beatitude Fouad Twal recebia em Jerusalém o báculo pastoral das mãos de seu predecessor.

Com este gesto simbólico, Sua Beatitude Michel Sabbah, que apresentou ao Papa sua renúncia por motivos de idade (completou 75 anos ), foi substituído no governo pastoral por quem até agora havia sido seu arcebispo coadjutor.

A cerimônia aconteceu no sábado na Basílica das Nações no Getsêmani, mais ampla que a igreja do patriarcado latino, mas de todos os modos pequena para acolher todas as autoridades religiosas e fiéis que quiseram participar na eucaristia.

Ao início da celebração, o delegado apostólico em Jerusalém, arcebispo Antonio Franco, leu a mensagem do Papa de ação de graças dirigida a Sua Beatitude Sabbah, nomeado patriarca em dezembro de 1987.

Em particular, o Papa sublinhou sua entrega nestes anos difíceis para a Terra Santa, expressada «sem distinção de pertença religiosa ou social».

O momento mais emocionante da celebração foi a entrega do báculo, seguido por um longo abraço entre os dois patriarcas.

Logo Sua Beatitude Twal se dirigiu aos presentes, primeiro em árabe e depois em francês. Deixando de lado o discurso preparado, movido pela emoção, exclamou: «Sois formidáveis!».

Mais tarde, dirigindo-se a seu predecessor, agradeceu-o pelo trabalho realizado e anunciou outro dos momentos mais emocionantes de sua tomada de posse: a entrada solene, neste domingo, na basílica do Santo Sepulcro, «o túmulo vazio, que nos recorda o motivo de nossa alegria: Cristo ressuscitou».

Sua Beatitude Twal nasceu em Madaba, Jordânia, em 23 de outubro de 1940. Em outubro de 1959 entrou no seminário patriarcal maior de Beit-Jala e foi ordenado sacerdote em 29 de junho de 1966.

Em agosto desse mesmo ano foi nomeado vice-pároco em Ramala; em janeiro de 1967 em Irbed; e em junho de 1968 em Mahatta.

Em setembro de 1972 começou os estudos de Direito Canônico na Universidade Pontifícia Lateranense, em Roma, e em outubro de 1974 entrou na Academia Pontifícia Eclesiástica. Em 1975 licenciou-se em Direito Canônico.

De 1977 a 1992 desempenhou seu ministério no serviço diplomático da Santa Sé, começando pela nunciatura apostólica de Honduras, e depois no Conselho para os Assuntos Públicos da Secretaria de Estado, a nunciatura apostólica da Alemanha e a nunciatura no Peru.

Em 30 de maio de 1992 foi nomeado bispo de Túnis, recebendo a ordenação em 22 de julho desse mesmo ano. Em 31 de maio de 1995 foi promovido pelo Papa João Paulo II a arcebispo. Foi presidente da Conferência Episcopal Regional do Norte da África (CERNA).

Era coadjutor do patriarcado de Jerusalém dos Latinos, por decisão do Papa Bento XVI, desde 8 de setembro de 2005.