Novo responsável da Comunidade Emanuel

Laurent Landete, até agora delegado na França

| 1727 visitas

PARIS, quinta-feira, 16 de agosto de 2009 (ZENIT.org).- Pai de seis filhos e enfermeiro em Bordeaux, Laurent Landete é o novo “moderador” da Comunidade Emanuel.

Foi escolhido em 12 de julho passado pelo conselho internacional da Comunidade para um período de três anos, informa um comunicado. 

Até agora era delegado do moderador na França e responsável das sessões de verão em Paray le Monial, nas quais participam dezenas de milhares de pessoas. 

Sucede no cargo Dominique Vermersch, professor de economia e de ética em Agrocampus Oeste, França, que havia finalizado os três mandatos consecutivos possíveis. 

Laurent Landete foi eleito pelos 17 membros do conselho internacional por maioria de dois terços. 

A eleição deve ser confirmada pelo Conselho pontifício para os Leigos. 

O moderador da Comunidade Emmanuel tem a função de assegurar o bom andamento da comunidade, animar a santificação e coordenar a vida e a evangelização. 

Representa a Comunidade ante as autoridades religiosas e civis. Também preside o conselho internacional, com o qual supervisiona as províncias. 

“Vos exorto a estar cada vez mais arraigados em Cristo; esta é a fonte de nossa alegria, essa alegria que estamos chamados a transmitir ao mundo”, declarou o novo moderador após as eleições em Paris. 

Até esse dia, a Comunidade era uma associação privada de fiéis de direito pontifício. 

A Comunidade Emanuel nasceu por iniciativa de Pierre Goursat (1914-1991) e Martine Laffitte-Catta, sobre a base da experiência de um grupo de oração da Renovação Carismática. 

Originalmente constituída só por leigos, casados ou não, hoje também conta entre seus membros com sacerdotes e leigos consagrados que amadureceram a própria vocação graças à experiência vivida dentro da Comunidade. 

Em 1975, a chegada da Comunidade a Paray le Monial, lugar das aparições do Coração de Jesus a Santa Margarita Maria de Alacoque (1647-1690) – na primeira sessão participaram cerca de 700 pessoas –, marcou uma etapa importante de sua história e o início de sua difusão a nível internacional. 

Desde os anos noventa, cada vez são mais os bispos que confiam à comunidade missões paroquiais e a animação das paróquias, que chegam a ser verdadeiros centros de vida fraterna e de evangelização. 

Depois de que nos anos sessenta decaísse o número de peregrinos, hoje o santuário de Paray le Monial acolhe cerca de 300 mil pessoas ao ano (www.sanctuaires-paray.com).