"O amor de Deus é mais forte do que qualquer mal"

As palavras de Bento XVI durante o Ângelus deste VI Domingo do Tempo Comum

| 1555 visitas

CIDADE DO VATICANO, 12 de fevereiro de 2012(ZENIT.org) – Às 12 horas de hoje, o Santo Padre Bento XVI, da janela de seu escritório no Palácio Apostólico recitou o Ângelus com os fiéis e peregrinos reunidos na Praça de São Pedro. Apresentamos a seguir na íntegra as suas palavras.

***

Queridos irmãos e irmãs!

Domingo passado vimos que Jesus, na sua vida pública, curou muitos doentes, revelndo que Deus quer para o homem a vida, a vida em plenitude. O Evangelho deste domingo (Mar 1, 40-45) nos mostra Jesus em contato com a doença considerada naquele tempo, a mais grave, a ponto de render a pessoa “impura” e de excluí-la das relações sociais: falamos da lepra. Uma legislação especial (cfr Lv13-14) reservava aos sacerdotes a tarefa de declarar a pessoa leprosa, ou seja, impura; e da mesma maneira cabia ao sacerdote constatar a cura e readmitir o doente curado na vida normal.

Enquanto Jesus andava a predicar pelos vilarejos da Galileia, um leproso lhe veio ao encontro e lhe disse: “Se queres, tens o poder de curar-me!”.  Jesus não foge do contato com aquele homem, ao contrário, impulsionado por uma íntima participação à sua condição, estende a mão e o toca – superando a proibição legal – e lhe diz: “Eu quero: fica curado!”. Naquele gesto e naquelas palavras de Cristo está toda a história da salvação. Está encarnada a vontade de Deus de curar-nos, de purificar-nos do mal que desfigura e que arruína as nossas relações. Naquele contato entre as mãos de Jesus e o leproso é abatida toda barreira entre Deus e a impuridade humana, entre o sagrado e o seu oposto, não para negar o mal e a sua força negativa, mas para demonstrar que o amor de Deus é mais forte do que qualquer mal, mesmo aquele mais contagioso e horrível. Jesus tomou sobre si as nossas enfermidades, se fez “leproso” para que nós fôssemos purificados.

Um esplêndido comentário existencial deste Evangelho é a célebre experiência de São Francisco de Assis, que ele reassume no início de seu Testamento: “O Senhor disse a mim, frei Francisco, para começar a fazer penitência assim: quando estava no pecado, me parecia algo muito amargo ver os leprosos; o Senhor mesmo me conduziu entre eles e usou com eles misericórdia. E afastando-me deles, aquilo que me parecia amargo foi transformando-se em docilidade de alma e de corpo . E então, sai do mundo”. Naqueles leprosos, que Francisco encontrou enquanto ainda estava “no pecado”, estava presente Jesus; e quando Francisco se aproximou de um deles, vencendo a própria aversão, o abraçou, Jesus o curou da sua lepra, isto é do seu orgulho, e o converteu ao amor de Deus. Eis a vitória de Cristo, que é a nossa cura profunda e a nossa ressurreição a vida nova!

Queridos amigos, dirijamo-nos em oração à Virgem Maria, que ontem celebramos fazendo memória de sua aparição em Lourdes. À Santa Bernadete, Nossa Senhora entregou uma mensagem sempre atual: o convite à oração e à penitencia. Através de sua Mãe é sempre Jesus que vem ao nosso encontro, para liberar-nos de toda doença do corpo e da alma. Deixemo-nos tocar e purificar por Ele, e usemos misericórdia para com nossos irmãos!

(Após o Ângelus)

Queridos irmãos e irmãs!

Acompanho com muita apreensão os dramáticos e crescentes episódios de violência na Síria. Nos últimos dias estes provocaram muitas vítimas. Recordo em orações as vítimas, dentre elas algumas crianças, os feridos e todos os que sofrem as consequências de um conflito sempre mais preocupante. Também renovo um premente apelo ao fim da violência e do derramamento de sangue. Enfim, convido a todos – e, sobretudo as Autoridades políticas da Síria- a privilegiar as vias do diálogo, da reconciliação e do compromisso pela paz. É urgente responder as legitimas aspirações dos diversos componentes das Nações, como também da comunidade internacional, preocupada com o bem comum de toda a sociedade e da Região.

(E por fim saudou aos peregrinos em diversas línguas)

Aujourd’hui, chers frères et sœurs francophones, la Parole de Dieu nous invite à agir comme des hommes et des femmes libres. À la suite de Saint Paul les chrétiens sont invités à promouvoir la liberté et la charité. Jésus, par sa vie, sa souffrance, sa mort et sa Résurrection est venu purifier l’homme tout entier afin de le rendre libre. Il est venu nous ouvrir à la Vie. Chacun de nous est invité à proclamer les merveilles de Dieu et à répandre la Bonne-Nouvelle. Puissions-nous avec la Vierge Marie rendre gloire à notre Dieu, par toute notre vie et en toute liberté ! Bon dimanche et bonne semaine à tous !

I am pleased to welcome all of you to Saint Peter’s Square on this cold morning, especially the students and staff of Sion-Manning School from London. At Mass today, the Gospel tells us of how our Lord willingly cured a leper. May we not be afraid to go to Jesus, beg him to heal our sinfulness, and bring us safely to eternal life. God bless you and your loved ones!

Mit Freude grüße ich alle Pilger und Besucher deutscher Sprache. Im Evangelium des heutigen Sonntags haben wir gehört, wie Jesus mit den Worten „Werde rein!" einen Aussätzigen heilt. Die Unreinheit isoliert den Kranken von den Menschen. Er wird sogar unfähig, Gottesdienst zu feiern, mit Gott in Beziehung zu treten. Christus führt den Kranken ins Leben und in die Gemeinschaft zurück. Er lädt auch uns ein, aus der Gemeinschaft mit ihm Boten des Friedens und der Hoffnung für unsere Mitmenschen zu werden. Der Herr segne euch und eure Familien.

Saludo con afecto a los peregrinos de lengua española, en particular a los fieles de la diócesis de Coria-Cáceres, así como a las Hermanas de los Pobres de San Pedro Claver. Hoy la liturgia nos hace ver cómo la súplica confiada conmueve el corazón del Señor, que manifiesta su deseo de sanarnos, purificarnos y reconciliarnos con Él y con los hombres. Exhorto a todos a imitar la fe del leproso del Evangelio, buscando a Jesús en la oración y los Sacramentos con humildad y contrición, para alcanzar la limpieza de corazón, y poder así proclamar su grandeza con la propia vida. Muchas gracias.

Radosno pozdravljam i blagoslivljam sve hrvatske hodočasnike! Vaše hodočašće u Rim i posjet grobovima apostola neka učvrsti vašu vjeru kako biste oduševljeno svjedočili kršćansku nadu i ljubili blinje. Hvaljen Isus i Marija!

Szeretettel köszöntöm a magyar zarándokokat, különösen is a kiskunfélegyházai Constantinum Intézmény csoportját. A keresztény szellemben történő nevelés nagy adomány, egyben kötelezettség is, hogy tanúságtételünkkel átadjuk a hitet.

Srdečne pozdravujem pútnikov zo Slovenska, osobitne z Bratislavy a okolia. Bratia a sestry, prajem vám poehnaný pobyt vo Večnom meste, kde vydali svedectvo Kristovi toľkí mučeníci. S láskou ehnám vás i vaše rodiny. Pochválený buď Jeiš Kristus!

Serdecznie pozdrawiam wszystkich Polaków. „Jeśli zechcesz możesz mnie oczyścić"…, „Chcę, bądź oczyszczony" Mk 1, 40-41) – oto dialog Chrystusa z trędowatym z dzisiejszej Ewangelii. Jest on obrazem czułości, z jaką Bóg pochyla się nad człowiekiem, tak często bezradnym wobec cierpienia, bólu, agresji zła. Tylko On może wyzwolić nas z trądu grzechów i zagubienia w życiu. Zawsze ufajmy w Jego moc i miłosierdzie. On jest Zbawicielem świata. Z serca wam wszystkim błogosławię.

Rivolgo infine un cordiale saluto ai pellegrini di lingua italiana, in particolare alla comunità del Seminario Vescovile di Patti, in Sicilia. A tutti auguro una buona domenica e una buona settimana!

Tradução:MEM