O bem da pessoa humana, acima da diversidade de religião

A mensagem de Bento XVI por ocasião do vigésimo quinto aniversário do Encontro Inter-Religioso de Oração Hieizan no Japão

| 1130 visitas

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 3 de agosto de 2012 (ZENIT.org) – Publicamos o texto da Mensagem que o Santo Padre Bento XVI enviou ao Sacerdote supremo do templo budista de Monte Hiei, por ocasião do 25 º aniversário do Encontro Inter-Religioso de Oração pela Paz Mundial que se realiza em Hieizan, no Monte Hiei, perto de Kyoto.

A mensagem do Papa foi lida hoje por Sua Excelência Mons. Pier Luigi Celata,já Secretário do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, que nestes dias visita o Japão:

***

Venerável Kojun HANDA

256th Tendai Zasu,

Sacerdote Supremo do Budismo Tendai.

Tenho o prazer de cumprimentá-lo e cumprimentar os líderes religiosos reunidos para o vigésimo quinto aniversário do Encontro Religioso no Monte Hiei, no espírito do histórico encontro de Assis de 1986, promovido pelo meu predecessor, o Beato João Paulo II.

O compromisso com a causa da paz por líderes religiosos é de extrema importância e estou feliz em saber que, graças aos vossos esforços, o cume do Monte Hiei tornou-se um importante acontecimento anual que contribui eficazmente para o diálogo entre as pessoas de diferentes crenças.

Estou confiante de que os trabalhos do Encontro e do Simpósio, que estão estudando a resposta dos líderes religiosos em caso de catástrofes naturais, levarão a uma maior solidariedade e ajuda mútua.

De acordo com a perspectiva cristã, o amor dado para aqueles que sofrem é um reflexo da divina caridade de Deus que tanto amou o mundo que enviou o seu único Filho Jesus Cristo.

Neste sentido, a minha mente se volta para o terremoto e para o tsunami do ano passado no nordeste do Japão e às conseqüências terríveis para toda a nação. Foi encorajador notar o papel ativo dos líderes religiosos em oferecer esperança e apoio, bem como conselhos e conforto a todos aqueles que sofrem. Este trágico acontecimento mostra como também as pessoas de diferentes credos podem cooperar entre si pelo bem da pessoa humana.

Com estes sentimentos, e como símbolo de boa vontade e amizade, invoco sobre todos aqui reunidos a abundância das bênçãos divinas.

[Trad. Thácio Siqueira]