O católico deve viver esse momento da vida da Igreja com muita serenidade

Entrevista com o Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis

Brasília, (Zenit.org) Thácio Siqueira | 1719 visitas

"O católico deve viver esse momento da vida da Igreja com muita serenidade e em união de preces pelo Papa Bento XVI e pelo Conclave que elegerá o novo Papa", afirmou o arcebispo de Aparecida e Presidente da CNBB, o Cardeal Dom Raymundo, em uma breve entrevista concedida à ZENIT hoje, respondendo à algumas questões esclarecedoras referentes à renúncia do Papa Bento XVI.

Publicamos a entrevista na sua íntegra:

***

ZENIT: Um Papa pode renunciar?

Card. Raymundo Damasceno: Segundo o Direito Canônico, cânon 332, o Papa pode renunciar ao seu cargo. Para que a renúncia seja válida, se requer que seja livre e devidamente manifestada. Não se exige que seja aceita por alguém ou por um grupo de pessoas. Para todos os demais cargos, se requer que a renúncia seja aceita por alguém.

ZENIT: Quais razões levariam um Papa a renunciar?

Card. Raymundo Damasceno: O motivo da renúncia de um Papa é simplesmente uma justa causa que pode ser fundada em motivos objetivos ou subjetivos. O Papa Bento XVI deu como um dos motivos de sua renúncia “que suas forças, devido à avançada idade, não mais são apropriadas para o adequado exercício do ministério de Pedro.”

ZENIT: Qual tem sido a importância de Bento XVI para a Igreja no Brasil?

Card. Raymundo Damasceno: Além da importância do seu magistério para toda a Igreja, o Papa Bento XVI manifestou um carinho especial para com o Brasil: canonizou o primeiro santo brasileiro, Santo Antonio de Santana Galvão e decidiu a realização da V Conferência Geral dos Bispos da América Latina e do Caribe, em Aparecida, onde esteve para inaugurá-la no dia 12 de maio de 2007. Seu discurso de abertura da V Conferência é um dos discursos mais importantes do seu pontificado.

ZENIT: Como um católico deve receber essa notícia? Com tristeza, alegria,  indiferença?

Card. Raymundo Damasceno:O católico deve viver esse momento da vida da Igreja com muita serenidade e em união de preces pelo Papa Bento XVI e pelo Conclave que elegerá o novo Papa. Cristo é o Pastor supremo da Igreja e o Espírito Santo a assiste na sua caminhada histórica. O elo da corrente da sucessão na Cátedra de Pedro nunca foi interrompido. Rezemos para que o novo Papa tenha muita sabedoria e fortaleza para conduzir a “Barca de Pedro” e  guiar o Povo de Deus.