O Encontro de Rímini muda a vida

Emilia Guarnieri explica que o Meeting é um contínuo pedido de abertura do coração

Roma, (Zenit.org) Antonio Gaspari | 431 visitas

"O Encontro para a Amizade entre os Povos não pode ser fechado nem reduzido. A abertura não é um slogan, a amizade não é uma definição, é um contínuo pedido para que o coração seja aberto", declara Emilia Guarnieri, presidente da fundação Meeting, tentando expressar a alma do encontro que foi aberto hoje em Rímini, na Itália.

Em entrevista publicada no livreto Il Meeting cambia la vita, distribuído junto com o jornal La Voce di Romagna, Guarnieri explica: "Quantas vezes, ao atender o telefone, eu percebo que estou fechando as portas para alguma coisa! Então eu pergunto para mim mesma: quem sou eu para dizer não a priori?".

"É essencial, como diz o papa Francisco, ter coração, ter uma atitude aberta em face de qualquer coisa. Eu não inventei o Meeting. Fazia meses que os amigos estavam trabalhando nele quando ele entrou na minha vida e me envolveu. Foi realmente algo que me aconteceu. Era 1980 e, desde então, ele mudou a minha vida".

Explicando o que é realmente o famoso encontro italiano, Guarnieri afirma: "É um abraço, um coração, um amor que se dilata e ganha forma, e que sempre muda. Porque o amor flui através das diferentes pessoas que se conhecem, se encontram e se amam".

“Eu aprendi muito com o Meeting, porque vi e toquei a experiência cristã. Eu vi em primeiro lugar que a experiência cristã engrandece o coração. Vi acontecer o milagre da amizade com os muçulmanos, com os judeus, com pessoas vindas do outro lado do oceano, pessoas que eu nunca tinha visto antes. Aprendi e ainda estou aprendendo que o Meeting não deve reduzir as coisas; pelo contrário, em Rímini as pessoas que procuram a verdade e a beleza do coração se encontram”.

Guarnieri fala do Meeting de Rímini como lugar onde a diversidade é valorizada: "Não é uma simples tolerância, mas sim uma valorização mútua, um ir a fundo na própria experiência, e tudo isso acontece no coração. Muitas vezes se diz isso, se escreve isso, mas eu vi isso com nitidez, com uma evidência nunca imaginada”.