O grande mufti da Síria quer rezar em São Pedro com o papa

Muçulmanos e outros grupos se unem ao apelo lançado ontem pelo papa no ângelus

Roma, (Zenit.org) | 1068 visitas

O grande mufti da Síria, Ahmad Badreddin Hassou, líder espiritual do islamismo sunita no país, ficou profundamente comovido com o apelo do papa pela paz na Síria, feito no ângelus de ontem.

Hassou expressou o desejo de estar presente em São Pedro na vigília de oração pela paz na Síria, anunciada pelo papa Francisco para acontecer neste sábado, 7 de setembro. Segundo a agência Fides, uma consulta sobre esta possibilidade foi feita pelo líder islâmico ao núncio apostólico em Damasco, dom Mario Zenari, e nos próximos dias ambas as partes avaliarão a viabilidade desse desejo. Ainda que, por razões logísticas ou de outra espécie, a participação no evento não ocorra, o mufti pediu que a sua comunidade em Damasco "acolha o apelo do papa, estendido a todas as religiões, para rezar pela paz na Síria". Os muçulmanos sírios serão convidados a rezar pela paz no dia 7 de setembro, simultaneamente e em comunhão com o papa, nas mesquitas de Damasco e de todo o país.

De acordo com o mufti, “todos percebem que o papa é um pai que se preocupa com o futuro do povo sírio e que quer proteger toda a sociedade síria, com as suas várias partes componentes, para que ela não seja destruída por divisões religiosas e pelo radicalismo". Os muçulmanos da Síria veem o papa como "um verdadeiro líder espiritual, livre de interesses políticos, individuais ou de grupos, como um líder que fala em favor do verdadeiro bem do povo sírio".

Segundo fontes locais, recolhidas pela Fides, os grupos muçulmanos, comunidades tribais, os drusos, os ismaelitas e outros componentes da sociedade síria deverão aderir à oração.

Fonte: Fides