O importantíssimo trabalho da Congregação para a Doutrina da Fé

O povo de Deus não está interessado na quimera e originalidade de certas teorias

São Paulo, (Zenit.org) Edson Sampel | 1521 visitas

A Congregação para a Doutrina da Fé é um dicastério da cúria romana, ou seja, um organismo eclesiástico que assiste o papa no governo da Igreja.

A incolumidade da fé cristã é um bem imensurável. Salvaguardar a doutrina de Jesus, pregada há mais de dois mil anos, é uma das principais obrigações da Igreja católica. Afinal de contas, ela é a guardiã do depositum fidei. O que adianta ouvirmos discursos aparentemente bonitos, mas que veiculam teses carcomidas e impuras? É a mesma história do sepulcro caiado... Precisamos da verdade; alimentamo-nos dela.

Entre os misteres da Congregação para a Doutrina da Fé, destaca-se a análise de livros sob suspeita. No passado não muito remoto, houve casos em que livros com heresias chegaram a circular na forma de manuais em seminários e institutos de teologia. Que desgraça! Vicissitude assaz triste, pois conspurcou-se a sagrada palavra de nosso Senhor Jesus Cristo, deixando abstrusas as mentes dos jovens estudantes.

O povo de Deus não está interessado na quimera e “originalidade” de certas teorias. Com efeito, ele anela pela sã doutrina, que efetivamente o libertará do jugo opressor do relativismo.  No fundo, os católicos sempre quiseram saber apenas o que o magistério infalível ensina. Por este motivo, determinadas obras literárias que comunicam a posição do autor, em detrimento da ortodoxia, são denunciadas pela Congregação. É imprescindível defender sobretudo o crente simples e vulnerável, que não dispõe de conhecimentos teológicos para separar o joio do trigo, vale dizer, para diferençar um ensinamento cristão autêntico de um reles parecer arbitrário.  

Temos de ponderar que realmente não é agradável assumir a tarefa de chamar a atenção dos teólogos, professores e escritores que desbordam do catolicismo e, às vezes, puni-los com medidas canônicas medicinais. Todavia, como se costuma dizer: alguém tem de fazer o serviço! E é um serviço que não há de ser adiado, sob pena de ocorrerem grandes estragos na cabeça das pessoas incautas.

De quando em quando, é salutar darmos uma olhada no site da Congregação (www.doctrinafidei.va), com o intuito de verificar se existem novas notas doutrinais ou disciplinares  a respeito de livros que destoem do magistério eclesial.   

Rezemos, pois, pelos membros da Congregação para a Doutrina da Fé, de modo especial pelo atual prefeito, dom Gerhard Ludwig Muller, impetrando a Deus que este dicastério continue impávido na missão de auxiliar o sucessor de são Pedro a confirmar os cristãos na verdadeira e inconcussa fé.   

Edson Luiz Sampel é Doutor em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Lateranense, do Vaticano. Membro da União dos Juristas Católicos de São Paulo (Ujucasp).