O mundo em preparação para a JMJ Rio 2013

Dom Orani reflete sobre o encontro promovido pelo Pontifício Conselho para os Leigos

| 1613 visitas

Por Maria Emília Marega

ROMA, sábado, 31 de março de 2012(ZENIT.org) -O Pontifício Conselho para os Leigos promoveu um encontro com os agentes da Pastoral da Juventude do mundo inteiro, para refletir sobre as Jornadas Mundiais da Juventude em preparação para a JMJ Rio 2013, em Rocca di Papa, na Itália.

ZENIT conversou com o Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, nesta sexta-feira, momentos antes da missa celebrada em português e animada por missionários das comunidades Shalom, Canção Nova e Obra de Maria. Após a missa os participantes puderam assistir ao show do Pe Zezinho.

Dom Orani, como o senhor analisa este encontro?

Dom Orani:Eu creio que é um encontro muito importante porque as Jornadas Mundiais da Juventude têm uma finalidade de animação da juventude católica e também de animar a pastoral juvenil e, além disso, fazer a unidade universal, através da diversidade de línguas e situações representadas neste encontro.

Como se desenvolvem os trabalhos...

Dom Orani:Representantes do mundo inteiro tanto das nações como também das comunidades estão aqui para viverem juntos e examinarem a Jornada Mundial da Juventude de Madri, para escutarem e perguntarem sobre o Rio de Janeiro e para pensarem sobre a pastoral juvenil.

O que deverá acontecer a partir deste encontro...

Dom Orani:Eu creio que é um momento muito importante, creio que daqui tanto da avaliação da Jornada Mundial de Madri, como também da programação do Rio de Janeiro e da preocupação com a pastoral juvenil, deverão sair grandes idéias para todos os países que, adaptando estas idéias, poderão ajudar muito no trabalho pastoral com a juventude.

As idéias que mais chamaram a atenção...

Dom Orani: A gente acaba escutando dos vários países muitas iniciativas bonitas, até de países que tem muita dificuldade de liberdade religiosa. A gente imagina que, muitas vezes, eles não têm a possibilidade de trabalhar com a pastoral, com as celebrações e fico vendo como eles conseguem, mesmo em países de pouca liberdade religiosa, reunir os jovens, fazer uma programação e isto nos ajuda a ver quais são as dificuldades, além das que temos; a nunca desanimar e tentar a cada momento trabalhar nas várias pastorais, especialmente na da juventude, que constrói o hoje e o amanhã da sociedade.

O que fica de mais importante deste encontro...

Dom Orani: Creio que os trabalhos e as várias preocupações que existem de organização pastoral da juventude, com reflexões e aprofundamentos de fé são muito importantes. Deve ser uma meta a ser seguida, um desafio a ser enfrentado, de como ajudar os nossos jovens a aprofundarem a fé e a serem homens e mulheres discípulos e missionários de Jesus Cristo para evangelizar.