O Natal anunciado com alegria aos pequeninos

Coluna de orientação catequética aos cuidados de Rachel Lemos Abdalla

| 1299 visitas

Por Rachel Abdalla*

CAMPINAS, quinta-feira, 13 de dezembro de 2012 (ZENIT.org) - Criança gosta daquilo que lhe é próprio, ou seja, da realidade vista sob a ótica pura e inocente dos fatos que presencia, e dos desejos que sente, principalmente aqueles associados à alegria. Por isso, o que devemos apresentar sobre Jesus às crianças deve ser alegre e ter o jeito e o tamanho delas.

Com base nos ensinamentos que Ele nos deixou nos Evangelhos, toda fala deve ter uma conotação verdadeira, porém, precisa ser colocada de modo lúdico, ou seja, na linguagem que a criança se envolve e participa, criando assim, um vínculo entre aquilo que ouve e vive.

Ao falar para os pequeninos sobre o nascimento de Jesus, os pais e catequistas podem fazer uma correlação deste dia com o nascimento deles, relembrando a alegria e a emoção, a preparação e a expectativa da chegada de uma criança ao mundo. Aqui, no caso, no Natal, de um pequenino muito especial, por ser o Filho de Deus.

Quando o anjo Gabriel vai anunciar à Maria que ela será a Mãe do Filho de Deus, sua saudação inicia-se com a palavra grega khaire que significa 'alegra-te', porque a novidade que vem é motivo de muita alegria! Vai nascer um menino, uma criança vem ao mundo! É, pois, com essa mesma alegria do anjo, ao anunciar Jesus a Maria, que nós devemos também anunciá-Lo ao mundo e, especialmente, às crianças.

Mas, onde está a alegria? Como mostrá-la aos pequeninos?

O motivo de alegria para Maria era o de ter o Senhor em seu ventre, e para nós é o fato de Jesus ter nascido entre os homens. Com relação às crianças, podemos inseri-las no contexto da família, dos amigos, dos parentes como uma relação de amor entre todos. Afinal, ser feliz é ter um encontro com o amor! Deus é Amor e nós nos encontramos com este Amor na pessoa de Jesus. Ao mostrarmos Jesus como um Menino, estamos colocando-O no mesmo contexto em que vivem as crianças.

É interessante, neste processo evangelizador, despertar nelas algo a mais sobre o Menino Jesus como, por exemplo, falar como Ele nasceu; que chorava, mas que também era risonho; como seriam as suas feições a partir das características do seu povo; quando começou a andar, o que gostava de comer, quem eram seus amiguinhos, qual era a sua brincadeira preferida... enfim, fazer colocações simples que não interferem na verdade e podem ser apresentadas conforme a expectativa da criança, do momento dela, afinal, Jesus era uma criança comum, mesmo sendo Deus, e cresceu como todos nós, dentro de uma realidade humana e limitada. Assim, elas crescerão com Jesus, gradativamente, de modo simples e natural.

Neste tempo do Natal, fale sobre Jesus e ensine o Amor às crianças, sendo alegre como elas são! Essa linguagem elas compreendem!

Feliz Natal!

*Rachel Lemos Abdalla é Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor e Coordenadora da Catequese de Famílias da Paróquia Nossa Senhora das Dores em Campinas, São Paulo; apresenta o 'Programete Pequeninos do Senhor', dentro do Programa 'Povo de Deus' da Arquidiocese de Campinas, na Rádio Brasil Campinas; e é membro da 'Equipe de Trabalho' do 'Ambiente Virtual de Formação' da Arquidiocese de Campinas.

Site: www.pequeninosdosenhor.org

Se desejar enviar perguntas ou expressar opiniões sobre os temas tocados pela coluna organizada por Rachel Lemos Abdalla, enviar email para: contato@pequeninosdosenhor.org

Para ler o artigo anterior clique aqui.