O papa abençoa a bengala de uma menina cega para acompanhá-la e guiá-la no caminho da luz

Delegação da associação espanhola ONCE participa da audiência geral com o santo padre Vaticano, 11 de dezembro de 2013

Roma, (Zenit.org) Rocio Lancho García | 393 visitas

Uma delegação da associação ONCE e da sua Fundação, composta por 138 pessoas, participou da audiência geral desta quarta-feira, 11 de dezembro, com o santo padre Francisco. A viagem a Roma faz parte das celebrações pelos 75 anos da ONCE, uma associação espanhola que presta serviço social a pessoas com cegueira ou deficiência visual severa.

O papa cumprimentou "a Fundação ONCE, a quem animo a continuar desenvolvendo esse elogiável trabalho". Depois da catequese, ele saudou cada membro da delegação e acariciou os cães-guias que acompanhavam os membros cegos da delegação.

ZENIT conversou com José Maria Prieto Ampudia, assessor de imprensa da ONCE, que nos contou que um dos momentos mais emotivos do encontro com Francisco foi protagonizado por Lucía, menina de 9 anos que quis dar de presente ao papa a sua bengala branca, “porque  esta bengala são os meus olhos, que me ajudam a caminhar na minha cidade”. O santo padre respondeu à pequena Lucía que preferia ele mesmo lhe dar um presente, “abençoando a bengala para acompanhá-la sempre e guiá-la no caminho da luz”. Lucía pediu um beijo do papa e Francisco o deu na hora, emocionando profundamente os familiares da menina e todas as pessoas presentes.  

Outra história comovente contada por José Maria é a de Soledad, uma vendedora de cupons da ONCE em Madri. Na audiência, Soledad leu versos de um poema escrito por ela própria em braile, que o santo padre escutou emocionado.

A delegação trouxe dois presentes para Francisco. Miguel Carballeda, presidente da ONCE e da sua Fundação, acompanhado pelo pe. Ángel, responsável pelos Mensageiros da Paz, entregou ao papa um evangelho escrito em braile, que Francisco folheou com curiosidade. Uma menina surda entregou ao santo padre uma imagem de Santa Lúcia, padroeira dos deficientes visuais, cuja festa é celebrada hoje, 13 de dezembro.

Neste ano significativo para a ONCE, a organização recebeu o Prêmio Príncipe de Astúrias da Concórdia, além de vários reconhecimentos na maioria das comunidades autônomas e das cidades da Espanha.

"Para quem faz parte da ONCE e da sua Fundação, independentemente da sua condição religiosa, este é um momento de grande transcendência e uma profunda experiência para as pessoas que vieram ao encontro do pontífice", afirma um comunicado da Fundação.

A ONCE nasceu em 1938, promovida por um grupo de cegos que imaginaram e defenderam um novo modelo de vida: eles não queriam depender de ajuda do Estado e decidiram viver do próprio trabalho e esforço, além de "compartilhar a sorte com o resto dos cidadãos, para ir, pouco a pouco, construindo a sociedade".

O mesmo desejo levou a organização a criar, há 25 anos, a Fundação ONCE para a Cooperação e Inclusão Social de Pessoas com Deficiência, que, ao longo desse tempo, gerou mais de 80.000 empregos e contribuiu para transformar a vida das pessoas com deficiência na Espanha. A organização oferece cobertura social a mais de 70.000 pessoas cegas em todo o país, entre elas aos 7.500 estudantes espanhóis com deficiência visual.

Na Europa, a ONCE trabalha para que as normas comunitárias não se esqueçam das pessoas com deficiências. Suas conquistas são destacadas em setores como o transporte público adaptado, o acesso à cultura, a acessibilidade urbana e a inclusão educativa e no trabalho. Na América Latina, através da Fundação ONCE para a América Latina (FOAL), a organização trabalha em 19 países.

Estas iniciativas se estenderam também a territórios da Europa afetados por conflitos bélicos, como a região dos Bálcãs, e para regiões da África. Nas áreas de presença da ONCE no norte africano, todas as crianças cegas estão hoje escolarizadas graças aos projetos educativos da associação.