O papa afasta dom Van Elst da diocese de Limburg

Após análise exaustiva por comissão especial, o bispo não poderá exercer o seu ministério. Ele é acusado de gastar 31 milhões de euros em reforma da residência episcopal.

Roma, (Zenit.org) Redacao | 559 visitas

Depois de várias e intensas controvérsias levantas na Alemanha durante a semana passada por causa dos gastos excessivos em sua residência, dom Franz-Peter Tebartz-van Elst, bispo da diocese alemã de Limburg, foi suspenso do ministério episcopal.

Em comunicado, a Sala de Imprensa da Santa Sé afirma que "o Santo Padre foi informado ampla e objetivamente sobre a situação na diocese de Limburg [...], onde veio a criar-se uma situação em que o bispo, dom Franz-Peter Tebartz-van Elst, não pode no momento presente exercer o seu ministério episcopal".

Uma pequena comissão foi criada para investigar o prelado, que é acusado de ter empregado uma soma de 31 milhões de euros para reformar a residência episcopal. Diz o comunicado: "Depois da visita fraterna de Sua Eminência, o cardeal Giovanni Lajolo, no mês de setembro, a Conferência Episcopal Alemã, após acordo com o bispo e com o Capítulo da Catedral de Limburg, constituiu uma comissão para realizar uma análise minuciosa da construção da sé episcopal".

"Em espera dos resultados das investigações sobre as responsabilidades a este respeito, a Santa Sé considera apropriado autorizar a Sua Excelência, dom Franz-Peter Tebartz-van Elst, um período de permanência fora da diocese [...] Por decisão da Santa Sé, entra em vigor a partir de hoje a nomeação de Wolfgang Rösch como vigário geral”. Rösch, que já estava nomeado para assumir as funções do vicariato geral da diocese a partir de 1º de janeiro de 2014, administrará desde agora a diocese de Limburg durante a ausência do bispo, "com os poderes atrelados ao cargo".

Após furiosa polêmica na Alemanha, dom Van-Elst tinha viajado a Roma no início da semana passada para se encontrar com o papa Francisco. O papa o recebeu na terça-feira, após consultar, nos dias precedentes, o presidente da Conferência Episcopal Alemã, dom Robert Zollitsch, e o arcebispo de Colônia, cardeal Joachim Meisner.

Na véspera da audiência com o papa, o bispo de Limburg também recebeu a visita, em Roma, de seu compatriota mons. Georg Gaenswein, prefeito da Casa Pontifícia e secretário pessoal do papa emérito Bento XVI.