O Papa celebra missa especial pela América Latina

Em ocasião da solenidade de Nossa Senhora de Guadalupe

| 1383 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 12 de dezembro de 2011(ZENIT.org)- O Santo Padre Bento XVI celebrou hoje, na Basílica de São Pedro, missa pela solenidade de Nossa Senhora de Guadalupe e pelo bicentenário da independência dos países da América latina e do Caribe.

A missa especial pela América Latina reuniu um grande número de fiéis na Basílica de São Pedro nesta segunda feira. Concelebrando com o Santo Padre estava o cardeal arcebispo de Aparecida e presidente da CNBB, Dom Raymundo Damasceno Assis.

O Papa iniciou a celebração em espanhol com as seguintes palavras: “A terra deu o seu fruto” (Sal 66,7). E explicou a imagem do salmo - ”A terra é Santa Maria, que vem da nossa terra, de nossa linhagem, deste barro, desta lama, de Adão [...]  A terra deu seu fruto: primeiro, produziu uma flor [...]; depois esta flor se transformou em fruto, para que pudéssemos comê-lo, para que comêssemos sua carne. Querem saber qual é este fruto? É O Virgem que procede da Virgem; o Senhor, da escrava; Deus, do homem; o Filho, da Mãe; o fruto, da terra”. (São Jerônimo, Breviarum in Psalm.66:PL 26, 1010-1011).

Ainda durante a homilia, em português, o Santo Padre acrescentou: “O Magnificat, que proclamamos no Evangelho, é «o cântico da Mãe de Deus e o da Igreja, cântico da Filha de Sião e do novo Povo de Deus, cântico de ação de graças pela plenitude de graças distribuídas na Economia da salvação, cântico dos "pobres", cuja esperança é satisfeita pela realização das promessas feitas a nossos pais» (Catecismo da Igreja Católica, 2619). Em um gesto de reconhecimento ao seu Senhor e de humildade da sua serva, a Virgem Maria eleva a Deus o louvor por tudo o que Ele fez em favor do seu povo Israel. Deus é Aquele que merece toda a honra e glória, o Poderoso que fez maravilhas por sua fiel servidora e que hoje continua mostrando o seu amor por todos os homens, particularmente aqueles que enfrentam duras provas.”

A segunda leitura, do livro do Apocalipse de São João, foi proclamada em português bem como a oração dos fiéis, pedindo intercessão pela Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro.

“Deus de comunhão, que com a criação do homem e da mulher a vossa imagem e semelhança, coroastes e levastes a perfeição a obra das vossas mãos, vos pedimos por todas as famílias e pelos jovens, especialmente por aqueles que caminham rumo a próxima Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro.” 

Além do Cardeal Dom Damasceno, estavam presentes na celebração Dom João Braz de Aviz, Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica e Dom Orani João Tempesta.

Dom Orani é o arcebispo metropolitano do Rio de Janeiro e estava acompanhado pela comissão do Comitê Organizador Local (COL) da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013, que estará em Roma entre os dias 12 e 13 de dezembro para uma reunião com o Pontifício Conselho para os Leigos.