O Papa e o Natal

| 1195 visitas

SÃO PAULO, quinta-feira, 20 de dezembro de 2012 (ZENIT.org) - Em 2013, são Pedro estará entre nós! Tu es Petrus! Não é são Pedro da Galileia, que já morreu, ainda não ressuscitou, e se encontra no céu ou em “estado de céu”, conforme preferem alguns teólogos. Quando Jesus, há dois mil anos, fundou a Igreja católica e disse a Simão, o humilde pescador: Tu es Petrus et hanc super petram edificabo ecclesiam meam, não tinha em mente o divino fundador uma Igreja passageira, uma sociedade sincrônica e temporária. Com efeito, anelava nosso Senhor uma Igreja perene, a protrair-se pelos séculos dos séculos.  

Bento XVI é o ducentésimo sexagésimo quarto sucessor de são Pedro.  Quando, no ano vindouro, virmos e ouvirmos o papa em nosso torrão, jucundamente dir-lhe-emos: Tu es Petrus!  São Pedro estará entre nós, a fim de confirmar-nos na indefectível fé em Cristo. Ubi Petrus, ibi Ecclesia!

Neste Natal de 2012, às vésperas da segunda vinda de Bento XVI ao Brasil, amemos Jesus-Deus-Criador numa das suas mais ataviadas criaturas: sua túnica inconsútil: a Igreja católica. Só na Igreja católica achamos o Jesus histórico. Achamo-lo, primeiramente, na eucaristia. Achamo-lo, também, nos outros sacramentos. Achamo-lo, ainda, no povo de Deus, sobretudo no rosto transfigurado dos pobres e inermes.

É fato inconteste que toda vinda do papa ao Brasil traz enormes benefícios espirituais. Em 2013, esperemos que o recrudescimento das vocações sacerdotais seja o grande presente de Deus para nosso país. Brasileiros precisamos de padres santos, ortodoxos, fiéis ao papa, ao bispo e ao magistério!

Rapazes que me leem, mirem Jesus menino na manjedoura, na simplicidade de um estábulo! É no presépio que reside a felicidade profunda e autêntica. Sejam, pois,  generosos. Deem a vida fértil de vocês à humanidade, para a geração mística e mistagógica de pessoas felizes.

Um santo Natal a todos os leitores de Zenit.

Edson Luiz Sampel é Doutor em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Lateranense, do Vaticano. Autor do livro “A responsabilidade cristã na administração pública” (Paulus, 2011).