O papa enviará uma mensagem contra o racismo na Copa

A sociedade civil no mundo inteiro se solidariza com o jogador Daniel Alves e contra o ataque racista que ele sofreu

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) Rocio Lancho García | 503 visitas

O papa Francisco enviará uma mensagem contra o racismo, conforme informações divulgadas pelo governo brasileiro. A mensagem será lida por um jogador da seleção brasileira na abertura da Copa do Mundo, no dia 12 de junho deste ano, no estádio do Maracanã.

"Falei com o papa sobre a nossa disponibilidade para transformar a copa na pedra angular contra o racismo... E ele está de acordo com a nossa proposta", disse a presidente Dilma Rousseff, afirmando que o governo do Brasil está conversando com outros líderes “de todos os segmentos religiosos” para se pronunciarem contra o racismo durante o mundial de futebol.

É conhecida a paixão do pontífice argentino pelo esporte. Francisco, que é torcedor do San Lorenzo de Almagro, time argentino que está disputando a Copa Libertadores da América, já teve vários encontros com personalidades do mundo do esporte.

O presidente da FIFA, Joseph S. Blatter, foi recebido pelo papa em uma audiência particular no Vaticano em 22 de novembro de 2013. Durante a conversa, Francisco pediu que a FIFA "use o futebol para promover a paz no mundo e ajudar os pobres".

"O Santo Padre me pediu para enfatizar a importância do futebol na educação dos jovens e em favor da paz mundial. Nós dois somos apaixonados pelo futebol e, naturalmente, também tocamos no tema. Somos conscientes da nossa responsabilidade e sabemos que, com o nosso trabalho, podemos unir os povos e conseguir construir um mundo melhor. O papa tem a certeza de que o futebol tem muito a oferecer neste sentido", explicou o presidente da FIFA depois da audiência.

O racismo no esporte, particularmente no futebol, tem sido um tema recorrente na mídia, com grande ênfase nos últimos dias. No domingo passado, um torcedor do time espanhol Villareal jogou uma banana contra o jogador brasileiro Daniel Alves, do Barcelona, durante um jogo entre as duas equipes. A resposta do atleta foi comer a fruta. O gesto se transformou numa campanha mundial contra o racismo quando o companheiro de time de Daniel, Neymar, postou nas redes sociais uma foto sua também comendo uma banana, junto com seu filho, e etiquetou a imagem com a hashtag #somostodosmacacos. A campanha foi prontamente apoiada por celebridades e anônimos de todo o mundo.

Daniel Alves declarou: "Fiquei surpreso com o apoio de todos. Foi um ato sem pensar na repercussão. O mundo evoluiu e nós temos que evoluir com ele".