O papa reza pelas freiras ortodoxas sequestradas na Síria por rebeldes islâmicos

Audiência geral na praça de São Pedro: Francisco afirma que a ressurreição de Jesus é a prova da ressurreição dos mortos

Roma, (Zenit.org) Rocio Lancho García | 483 visitas

As baixas temperaturas começam a se fazer sentir com força na capital italiana, mas ainda não impedem milhares de fiéis de ir à praça de São Pedro para participar da audiência com o papa. Mesmo já sendo bem menor a quantidade de peregrinos que participa, devido ao clima desta época, havia hoje em torno de 30.000 fiéis reunidos para ouvir a catequese de Francisco, com o mesmo entusiasmo e alegria de quando as temperaturas são mais agradáveis.

O santo padre chegou à praça às 9h45, no papamóvel aberto, e dedicou meia hora a percorrê-la com calma, dando atenção a cada criança que lhe aproximavam para pedir a bênção. Bandeiras, cartazes e flashes das câmaras acompanhavam todo o trajeto do santo padre, ao som da banda musical do Vaticano.

A catequese desta manhã deu continuidade ao tema da semana passada, "a ressurreição da carne".

No resumo em espanhol, Francisco disse:

“Queridos irmãos e irmãs, voltamos hoje a falar sobre a afirmação ‘creio na ressurreição da carne’. Não é fácil entendê-la quando estamos imersos neste mundo, mas o Evangelho nos esclarece: a ressurreição de Jesus é a prova de que a ressurreição dos mortos existe. A fé em Deus, criador e libertador de todo o homem, de alma e corpo, já abre o caminho para a esperança na ressurreição. Esta esperança se cumpre na pessoa de Jesus, que é ‘a ressurreição e a vida’; que nos tomou consigo na sua volta ao Pai no Reino glorioso. A onipotência e a fidelidade de Deus não se detêm às portas da morte. Cristo está sempre conosco, vem todos os dias e virá no final. Então Ele ressuscitará também o nosso corpo na glória, não o devolverá ao mundo terrenal. Vivendo desta fé, seremos menos prisioneiros do que é efêmero, menos prisioneiros do que é passageiro. Essa transfiguração do nosso corpo já vai sendo preparada nesta vida através do encontro com Cristo Ressuscitado, especialmente na Eucaristia, na qual nos alimentamos do seu Corpo e do seu Sangue. De certo modo, já ressuscitamos agora, participamos por meio do batismo em uma vida nova, participamos do mistério de Cristo morto e ressuscitado. Temos uma semente de ressurreição, uma centelha de eternidade, que sempre torna toda vida humana digna de respeito e de amor".

A seguir, o papa saudou "com afeto os peregrinos vindos dos países latino-americanos. Que todos nós demos testemunho alegre dessa condição de vida eterna rumo à qual caminhamos".

Na saudação em italiano, o santo padre recordou que ontem celebrava-se a memória de São Francisco Xavier, padroeiro da missões. "Este santo sacerdote nos lembra o compromisso de cada um de anunciar o Evangelho". O papa pediu: "Queridos jovens, sejam valentes testemunhas da sua fé; queridos doentes, ofereçam a sua cruz cotidiana pela conversão de quem está longe da luz da Igreja; e vocês, queridos recém- casados, vocês são anunciadores do amor de Cristo a partir da sua família".

Depois das saudações aos peregrinos e do resumo da catequese nas várias línguas e antes de encerrar a audiência, o papa convidou a todos a rezar "pelas freiras do mosteiro greco-ortodoxo de Santa Tecla, em Ma'lula, na Síria, que há dois dias foram levadas à força por homens armados. Rezemos por essas freiras, essas irmãs, e por todas as pessoas sequestradas por causa do conflito que está acontecendo. Continuemos rezando e trabalhando juntos pela paz".  Todos os fiéis presentes, junto com Francisco, rezaram então uma ave-maria.

Terminada a audiência, o papa voltou a dedicar tempo e ternura a cada uma das pessoas que foi cumprimentando: desde os bispos até as crianças de colo, passando pelos enfermos e pelos recém-casados. Cada um recebeu palavras, sorriso e bênção do santo padre.

A banda musical, como de costume, acompanhou esse momento de contato entre o papa e o povo. Hoje, em clima de preparação para o natal, ela incluiu o popular “Jingle Bells”.