O papa se reúne com crianças de três campos de refugiados na Palestina

Francisco pede que as crianças "nunca deixem que o passado determine a sua vida"

Roma, (Zenit.org) Redacao | 447 visitas

Após a visita à Gruta da Natividade, o papa Francisco se dirigiu ao Phoenix Center para o seu encontro com crianças refugiadas dos campos de Dheisheh, Aida e Beit Jibrin. Ao chegar, às 15h30 deste domingo, 25 de maio (9h30 no horário de Brasília), o Santo Padre foi recebido por duas meninas vestidas com trajes típicos palestinos, que lhe entregaram flores.

Já no salão, onde as crianças reunidas seguravam cartazes que pediam liberdade e paz, o papa lhes desejou, falando em espanhol com tradução simultânea para o árabe, que elas e suas famílias estejam bem de saúde. "Eu estou muito contente por visitar vocês. Vejo que, no seu coração, vocês têm muitas coisas e espero que o Bom Deus lhes conceda tudo o que vocês estão desejando", disse o pontífice.

Uma das crianças leu palavras em árabe, explicando ao papa a situação em que estão vivendo, e, ao encerrar, disse em italiano: "Querido papa Francisco, nós somos os filhos da Palestina. Há 66 anos, os nossos pais sofrem a ocupação. Nós abrimos os nossos olhos já sob a ocupação". O texto manifestou ainda “o desejo de dizer ao mundo um basta aos sofrimentos e às humilhações”.

A seguir, as crianças cantaram primeiro em italiano e depois em árabe.

Ao terminar o encontro, o papa agradeceu pelos cantos: "Muito bonitos, vocês cantam muito bem". Francisco também agradeceu pelas palavras do menino porta-voz e declarou que, lendo os cartazes, "compreendo o que vocês estão dizendo, a mensagem que estão me transmitindo. Não deixem nunca que o passado determine a sua vida. Olhem sempre para frente. Trabalhem e lutem para conseguir as coisas que vocês querem. Mas saibam de uma coisa: não se vence a violência com a violência. A violência se vence com a paz. Com a paz, com o trabalho, com a dignidade de levar a pátria adiante. Muito obrigado por terem me recebido. Eu peço a Deus que os abençoe. E, a vocês, eu peço que rezem por mim. Muito obrigado".

Francisco voltou a saudar brevemente as crianças e partiu do centro de refugiados, finalizando assim a visita à Palestina. O papa se dirigiu logo depois a Tel Aviv, transportado de helicóptero, para dar continuidade em Israel à sua peregrinação pela Terra Santa.