O Papa se une a campanha mundial pela libertação de Dawit Isaak

O jornalista e escritor sueco-eritreu está preso ilegalmente há 13 anos na prisão de Eritréia

Roma, (Zenit.org) Redacao | 292 visitas

Até o Papa Francisco juntou-se à campanha internacional para pedir a libertação de Dawit Isaak, jornalista sueco-eritreu preso em Eritreia desde 2001, sem nunca ter visto iniciar um processo. "Envio as minhas bênçãos e saudações a ele e a sua família", disse o Papa, de acordo com o jornal sueco Expressen. "Espero com todo meu coração que o caso de Dawit seja resolvido – acrescenta (vídeo Expressen.se). Espero que tudo seja esclarecido. É uma pessoa que está sofrendo muito nesta situação”. O editor-chefe, Thomas Mattson, expressa em um editorial seu apreço pela proximidade manifestada pelo Papa.

Isaak foi detido em setembro de 2001, juntamente com 21 jornalistas eritreus, por ter formado um grupo político que levava adiante demandas de democratização das instituições do país. Há 13 anos ele está detido ilegalmente na prisão de Eritréia. O regime do país o considera um traidor, enquanto a Amnesty International chamou-o de "prisioneiro de consciência" e repetidamente exigiu sua libertação imediata e incondicional.

Vários importantes meios de comunicação suecos têm repetidamente apelado às autoridades da Eritreia para que inicie o processo de liberação de Isaak. Em abril de 2009, quatro editoras da Suécia - Aftonbladet, Dagens Nyheter, Svenska Dagbladet e Expressen - assinaram uma petição para a libertação do jornalista, entregue imediatamente à embaixada da Eritreia.

Em abril de 2002, o CPJ - Committe to Protect Journalists informou que o homem foi hospitalizado após um duro tratamento na prisão. O governo da Eritréia, no entanto, desmentiu a acusação, alegando que os prisioneiros têm a garantia de prisão conforme os direitos humanos e com respeito pelo indivíduo.

Espera-se que, tendo atraído a atenção até mesmo do Bispo de Roma, se acenda uma chama de esperança para Dawit Isaak. Além do Papa Francisco, muitos líderes do cenário mundial manifestaram o seu apoio à libertação do escritor, incluindo Bruce Springsteen e Madonna. A União Europeia também dirigiu repetidamente seu apelo à União Africana para que Isaak volte para casa, em Gotemburgo, para sua esposa Sophia e seus três filhos.

Para mais informações:

http://www.expressen.se/nyheter/free-dawit/pave-franciskus-ger-sitt-stod-till-dawit-isaak/

http://ilsismografo.blogspot.it/2014/07/eritrea-papa-francesco-chiede-il.html

(Trad.:MEM)