"O Papa também tem uma família. Obrigado pelas condolências"

No final da audiência geral, o Papa agradeceu aos fiéis pelo carinho e simpatia que lhe fora demonstrado ontem pelo trágico incidente em que matou três de seus parentes

Roma, (Zenit.org) Redacao | 563 visitas

Um grande "obrigado" expressou o Papa Francesco aos fiéis reunidos na Sala Paulo VI para a audiência geral, pelo carinho e simpatia demonstrado ontem pela trágica morte de três parentes em um acidente de carro na Argentina. Trata-se da esposa Valeria e os dois filhos José e Antonio, do sobrinho do Papa Emanuel Horacio Bergoglio, 35 anos, internados em estado crítico.

O Papa agradeceu aos fiéis pelas "orações, condolências, pelo que aconteceu na minha família". "O Papa também tem uma família. Nós éramos cinco irmãos; tenho 16 sobrinhos e um deles teve um acidente automobilístico: sua esposa e os dois filhinhos morreram, e ele está em estado crítico. Agradeço muito por suas orações”.

O luto que atingiu a família Bergoglio comoveu o mundo inteiro, especialmente, é claro, a Argentina, onde continua a expectativa com relação ao estado de saúde do sobrinho do Papa.

O estado de saúde de Emanuel Bergoglio - refere-se a Rádio Vaticano - depois de uma nova cirurgia na noite passada, continua muito sério. Ele está internado na unidade de terapia intensiva do hospital Pasteur na cidade de Villa Maria, na província de Córdoba, mais próximo do local do acidente. Os médicos, tendo em conta a sua condição, desaconselharam a transferência para outro hospital.

Emanuel é o único sobrevivente do impacto contra um caminhão de milho. A mulher e o filho de oito meses perderam a vida no local, enquanto o outro filho de dois anos morreu durante a transferência para o hospital.  

De Buenos Aires –conforme notícia-  chegaram a mãe de Emanuel, viúva de Alberto Bergoglio, o irmão do Papa que morreu em 2010, e suas duas irmãs. Os corpos das três vítimas do acidente chegaram hoje à capital argentina, onde terá lugar o funeral.

O Ministério das Relações Exteriores enviou uma mensagem de condolências, em nome da presidente Cristina Kirchner, do governo e do povo da Argentina, onde se lê: "O Papa Francisco esteve sempre perto daqueles que estão sofrendo e agora, na hora de sua dor, nós argentinos sentimos por esta tragédia".