O sangue de João Paulo II na igreja romana de São Mauro Abade

Exposição da relíquia acontece domingo, 7 de outubro, em cerimônia presidida pelo cardeal Bertello

| 1137 visitas

ROMA, quinta-feira, 4 de outubro de 2012 (ZENIT.org) - Sete anos após a sua morte, o beato João Paulo II continua vivo e presente nas paróquias da diocese de Roma, que ele tanto amava.

No próximo domingo, 7 de outubro, às 18h00, a paróquia de São Mauro Abade exporá uma relíquia contendo o sangue do beato, na capela do Santíssimo Sacramento, recentemente renovada pelo pároco Giancarlo Graziano, de acordo com o projeto e a orientação do prof. Andrea Baciarlini, arquiteto perito em arte litúrgica. A cerimônia de abertura será presidida pelo cardeal Giuseppe Bertello, presidente do governatorato da Cidade do Vaticano.

"É um retorno de João Paulo II à nossa paróquia, trinta anos depois da sua visita pastoral de 9 de maio de 1982," comenta o padre Graziano. "Foi ele quem desejou construir esta Igreja e a sua casa canônica no bairro popular do Laurentino, onde elas nem estavam previstas, porque o grande coração do papa sempre se voltava às necessidades e às exigências do povo, e ele queria uma referência para animar a fé das pessoas".

"A exposição da relíquia é uma forma de mostrar a nossa gratidão a esse papa inesquecível, além de uma oportunidade para todos os fiéis e paroquianos orarem e pedirem graças. Agora que ele é beato, e esperamos que, em breve, santo, ele pode interceder melhor por nós junto ao Pai".

O relicário será colocado no lado direito da capela, que é usada para celebrações em pequenos grupos. "Com o recente trabalho de renovação”, explica o arquiteto Baciarlini, “o altar tem agora mais luminosidade, ressaltado pela cúpula decorada com a imagem da pomba do Espírito Santo, que repousa sobre uma coroa de metal contendo doze velas transparentes, que saem dela para iluminar a mesa eucarística".

Um especial jogo de luz envolve a entrada do salão de celebrações, graças a um vidro vermelho posicionado entre os dois pilares de travertino que emolduram a entrada, espalhando os seus reflexos arroxeados com a luz solar.

Impressionante, ainda, é o texto "O Verbo se fez carne", escrito em latim na porta de vidros transparentes, com desenhos em jateamento multi-camadas que mostram a imagem da Anunciação da Virgem Maria, inspirada num ícone de Kiko Argüello, o artista espanhol iniciador do Caminho Neocatecumenal.

(Trad.ZENIT)