O Santo Padre dá início à quinta reunião com os cardeais conselheiros

Reforma da Cúria Romana está entre os temas do encontro, que vai até 4 de julho

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) Sergio Mora | 387 visitas

Conforme informações divulgadas no boletim da sala de imprensa da Santa Sé, começou na manhã desta terça-feira, 1º de julho, a quinta reunião do papa Francisco com o Conselho de Cardeais criado por ele para ajudá-lo no governo da Igreja.

O encontro termina nesta sexta, 4, e não será interrompido pela tradicional audiência geral das quartas-feiras, já que, devido ao período de verão e férias na Europa, as populares audiências com o papa na Praça de São Pedro estão suspensas até o dia 6 agosto.

O boletim vaticano acrescenta que está sendo estudado "um projeto de revisão da constituição apostólica Pastor Bonus, sobre a Cúria Romana". 

Os encontros anteriores do conselho aconteceram de 1º a 3 de outubro de 2013; de 3 a 5 de dezembro de 2013; de 17 a 19 de fevereiro de 2014 e de 28 a 30 de abril de 2014.

As reuniões costumam se realizar na Sala Bolonha do Palácio Apostólico, presididas pelo Santo Padre. Participam os membros do chamado C8, o Conselho de Cardeais que, na realidade, com a posterior incorporação do secretário de Estado, cardeal Parolín, conta hoje com 9 cardeais.

O Conselho de Cardeais foi criado pelo papa Francisco em 13 de abril de 2013 e institucionalizado em 30 de setembro daquele mesmo ano. Os cardeais provêm dos cinco continentes e dão conselhos orientativos ao papa. É o Santo Padre, porém, quem toma as decisões finais sobre as medidas a ser tomadas.

A Pastor Bonus é a constituição apostólica promulgada pelo papa João Paulo II no dia 28 de junho de 1988. Trata-se do texto legislativo que regulamenta a composição e as competências dos dicastérios e dos organismos da Cúria Romana.

O porta-voz do Vaticano, pe. Federico Lombardi, declarou em conferência de imprensa em abril de 2013 que a reforma da Cúria Romana “não será apenas uma atualização da Pastor Bonus, mas algo mais consistente (...) Podemos esperar uma nova Pastor Bonus, não apenas retoques nas suas partes nem adequação de pequenas coisas”. Lombardi acrescentou que o foco da reforma consistirá em “realçar a natureza de serviço à Igreja universal e às Igrejas locais, respeitando a subsidiariedade”.