O último dia do Papa

O programa do 28 de fevereiro até a sede vacante

Roma, (Zenit.org) | 1288 visitas

Hoje, às 20h Bento XVI deixa de ser Papa. O programa que lhe aguarda é intenso. Pela manhã tem cumprimentado os cardeais, um por um, na Sala Clementina do Vaticano. “Somente nesse momento saberemos quantos cardeais terão vindo a Roma”, disse ontem o porta -voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, confirmando no briefing de hoje pela manhã, que contou 140 cardeais no encontro com o Papa nesta manhã. 

Também hoje o apartamento pontifício será selado, como indica a constituição Universi Dominici Gregis, a lei sobre o final de um pontificado.

Tal documento foi atualizado pelo papa segunda-feira passada, com alguns detalhes, entre eles que a comissão de cardeais que se reune durante a sé vacante pode adiantar o conclave. Antes da mudança os cardeais podiam interpretar a lei e adiantar a eleição, agora, ao contrário é a mesma constituição que o permite sem necessidade de nenhuma interpretação.

Na parte da tarde, às 16h45 (12h45 no horário de Brasília) Bento XVI descerá no pátio de São Damião no Vaticano. Ali cumprimentará a algumas outras autoridades e seus colaboradores mais próximos que trabalham na Secretaria de Estado. Um piquete da Guarda Suíça vai render-lhe honras.

Será levado de carro ao heliporto, situado a uns 800 metros de distância, na parte alta da colina vaticana – uma das elevações que formam a cidade de Roma – amuralhada onde se encontra essa Cidade, coração da catolicidade.

Últimas saudações e daí voará aproximadamente às 17h , hora local (13h, hora de brasília), de helicóptero para Castel Gandolfo, a residência pontificia de verão localizada a 20 quilômetros de Roma, ou seja a uns 15 minutos de vôo. Bento XVI vai ficar lá por vários meses, porque não quer influenciar os cardeais que participam do conclave com a sua presença no Vaticano.

Somente após este tempo, voltará para o mosteiro Mater Ecclesiae, localizado dentro das muralhas. (O local do retiro do papa no Vaticano).

Ainda hoje pela tarde, com a sua chegada a Castel Gandolfo, o papa será recebido pelas autoridades locais da cidade e pelo bispo da diocese, Marcello Semeraro. Logo depois sairá na varanda de Castel Gandolfo - cerca das 17h30 (13h30, horário de Brasília) - para cumprimentar a população local.

Às 20 hs, na tranquilidade de Castel Gandolfo, Bento XVI deixará de ser papa. A partir deste momento se chamará “santidade Bento XVI” e usará a batina branca, sem a capa pequena que cobre os ombros e que caracteriza o pontífice que pastoreia a Diocese de Roma e é o “primus inter paris” da Igreja Católica.

Bento XVI será papa emérito, o cardeal camarlengo Tarcisio Bertone quebrará o anel do Pescador e o selo de chumbo. A Guarda Suíça – guarda pessoal do pontífice – fechará as portas do castelo de Castel Gandolfo e deixará de exercer suas funções neste tempo na residência temporal de Bento XVI, porque já não haverá papa para custodiar. Entrará em função a Gendarmeria do Vaticano, seus serviço de segurança.

A Igreja terá entrado na sé vacante.