Onde há calúnia, está Satanás

Homilia do Papa Francisco na Domus Sanctae Marthae na segunda-feira, 15 de abril

Brasília, (Zenit.org) Thácio Siqueira | 934 visitas

“Onde há calúnia está Satanás, justamente ele”, disse, Papa Francisco na missa matinal da segunda-feira, 15 de abril, na capela da Domus Sanctae Marthae.

A realidade do pecado atinge a todos nós, e todos somos pecadores, mas –destacou o Papa – a calúnia é algo muito pior, porque “quer destruir a obra de Deus; a calúnia nasce de uma coisa muito má: nasce do ódio. E quem faz o ódio é Satanás”. A calúnia, então, não é só um pecado, ela “usa a mentira para ir avante”.

Refletindo sobre o martírio de Estevão, na primeira leitura da liturgia do dia, Papa Francisco notou que ele não respondeu a mentira com a mentira, porque “não quis escolher esse caminho para salvar-se. Ele olha para o Senhor e obedece a sua lei”. E hoje, disse o Papa, a Igreja tem muitos mártires que são “caluniados, perseguidos, mortos por ódio a Jesus, por ódio a fé: uns são mortos porque ensinam o catecismo, outros porque trazem uma cruz...”.

Portanto, que nesse tempo de grande perseguição e de “tantas tempestades espirituais”, trazendo à memória uma imagem de Maria em um ícone russo que cobre com o seu manto o povo de Deus, disse o Papa: “Ela é a mãe que cuida da Igreja. E neste tempo de mártires, ela é a protagonista da proteção, é a mamãe (...) Digamos com fé: “Sob a vossa proteção, Mãe, está a Igreja. Cuida da Igreja”.