Oração, fé e esperança para quem luta pela sobrevivência

Gennadios de Sassima no III Fórum Católico-Ortodoxo de Lisboa

| 1094 visitas

LISBOA, quarta-feira, 6 de junho de 2012 (ZENIT.org) – Reproduzimos o discurso de Sua Eminência o metropolita Gennadios de Sassima aos participantes do III Fórum Católico-Ortodoxo de Lisboa, aberto ontem, 5 de junho.

É uma grande alegria que o III Fórum de Diálogo entre o Conselho das Conferências Episcopais Europeias da Igreja Católica Romana (CCEE) e as Igrejas Ortodoxas na Europa esteja se realizando em Lisboa, cidade histórica única e encantadora, capital de Portugal, onde miríades de santos e mártires confessaram e demonstraram a sua fé cristã e o testemunho da Igreja indivisa.

Estamos juntos, católicos e ortodoxos, vindos das várias regiões deste velho continente, sob os auspícios de Sua Eminência o cardeal José da Cruz Policarpo, patriarca de Lisboa.

Tenho a honra e o prazer de transmitir a todos, Vossas Eminências, Vossas Excelências, Vossas Graças, aos queridos padres e irmãos em Cristo, as saudações paternas e as orações de Sua Santidade o patriarca ecumênico Bartolomeu, que deseja a todos uma reunião frutífera e construtiva, com resultados positivos para o benefício das nossas Igrejas e de todos os cristãos que vivem neste continente.

O tema deste terceiro fórum, em particular hoje, é muito importante e toca os corações e a vida de todos os nossos povos: "A crise econômica e a pobreza: Desafios para a Europa de hoje". A atual crise econômica é um fato sem precedentes na história deste continente, com muitos países e sociedades tendo de enfrentar as trágicas consequências de uma pobreza financeira e social.

Milhões de pessoas perdem seus trabalhos, o desemprego aumenta rapidamente, os jovens perdem as esperanças e olham perdidos para um futuro ambíguo e incerto. Muitos procuram refúgio nas nossas igrejas, pedindo ajuda, apoio emocional e encorajamento espiritual para superar as dificuldades.

A oração, a fé e a esperança são os únicos instrumentos espirituais que podemos oferecer como igrejas aos necessitados, àqueles que lutam pela sobrevivência e por um futuro melhor, com dignidade e respeito pela sacralidade e pela unicidade do gênero humano.

O patriarca ecumênico Bartolomeu I, como o primeiro líder espiritual entre os outros primazes da comunhão ortodoxa, dedica muita atenção a todo "diálogo" que ocorre entre as Igrejas cristãs, em particular ao diálogo teológico internacional católico-ortodoxo, assim como a este Fórum Europeu, que, com a bênção de Deus, está agora em sua terceira edição.

Queridos irmãos e irmãs, a unidade que todos nós procuramos é um dom do alto, que devemos perseguir com perseverança e também com paciência. Não depende apenas de nós, mas do julgamento e do kairosde Deus. No entanto, este dom sagrado da unidade nos obriga também a uma conversão radical e a uma reorientação, para humildemente voltarmos às nossas raízes comuns na Igreja Apostólica e na comunhão dos santos, e também para nos confiarmos e submetermos ao reino celeste e à autoridade de Deus.

Renovemos juntos o nosso compromisso com o diálogo, com a cooperação e com a unidade, como caminho de reflexão e de renovação. Que a nossa resolução seja uma oferta a Deus na oração, em nosso sincero desejo de ser "um só" (Jo 17, 21), em resposta ao mandamento e à vontade de nosso Senhor.