Órfão da AIDS compartilham suas histórias

Exposição «The Children Left Behind»

| 1033 visitas

BALTIMORE, terça-feira, 17 de julho de 2007 (ZENIT.org).- Sizakele Keswa, de treze anos, perdeu sua mãe pela AIDS e nunca conheceu seu pai. Sua história é relatada em uma exposição itinerante patrocinada por «Catholic Relief Services», organização humanitária da Igreja nos Estados Unidos que faz parte da rede Cáritas.



Keswa é um dos órfãos representados em «The Children Left Behind: AIDS Orphans Around the World» (Crianças deixadas para trás: Órfãos da Aids no mundo), uma exposição interativa de 120 metros quadrados para informar sobre os milhões de órfãos e outras crianças de alguma forma atingidas pelo HIV/AIDS.

A exposição apresente a crianças de Uganda, África do Sul, Índia, Camboja, Guatemala e Estados Unidos, oferecendo um olhar para suas vidas com histórias, fotos, poesia e arte.

Kathleen Bambrick Méier, coordenadora da exposição, confessou a Zenit que o que mais lhe inspirou «foi que estes órfãos não estão precisamente na África, mas em todo mundo».

«É fácil deixar isso de lado, mas está acontecendo justamente aqui, justamente agora, tão perto de casa», acrescentou.

Bambrick Meier explica que as histórias das crianças dão nomes e faces atuais, fazendo que sejam algo mais que um dado estatístico para os visitantes que sempre ignoram este aspecto do problema da AIDS.

Sizakele Keswa, uma menina de 13 anos de Durban, África do Sul, que perdeu sua mãe pela doença e nunca conheceu seu pai, se converteu no símbolo da exposição, disse Meier.

«Sizakele é apresentada com uma foto de sua mãe na mão, o que transmite a realidade destas crianças», afirmou.

«A exposição –esclarece Meier– foi pensada para que viajasse durante dois anos, mas temos recebido muitas solicitações, de forma que tem uma vida mais longa do que inicialmente pensamos para ela».

O programa conjunto das Nações Unidas HIV/AIDS prevê que o número de órfãos da AIDS chegue a pelo menos 25 milhões em 2010.