Ortodoxos e Papa se despedem de Dom Fortino, pioneiro do ecumenismo

Falecido aos 72 anos, era subsecretário do Conselho para a Unidade dos Cristãos

| 1079 visitas

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 28 de setembro de 2010 (ZENIT.org) - Bento XVI prestou homenagem a Dom Eleuterio Fortino, subsecretário do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, falecido no último dia 22, aos 72 anos, depois de uma vida dedicada à causa ecumênica, particularmente à unidade com as igrejas ortodoxas.

O prelado também foi recordado pelos participantes - católicos e ortodoxos - da reunião plenária da Comissão Mista para o Diálogo Teológico, realizada em Viena na semana passada, que rezaram juntos por ele e expressaram as lembranças pessoais que os uniam a ele.

Um telegrama do Papa, assinado pelo cardeal Tarcísio Bertone, secretário de Estado, foi lido pelo bispo Brian Farrell, LC, secretário do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, durante a celebração do trisaghion, segundo a tradição oriental, na tarde do sábado, 25, na igreja romana de São Atanásio dos Gregos, em Roma.

Segundo Bento XVI, Dom Fortino desempenhou com sua vida um "generoso compromisso, com inteligência e paixão, ao serviço da unidade".

Nascido em San Benedetto Ullano, na Calábria, sul da Itália, em 1938, Eleuterio Francesco Fortino entrou como seminarista no Colégio Pontifício Grego em 1958, onde estudou teologia e filosofia, que completou na Universidade Pontifícia Gregoriana. Ordenado sacerdote em 1963, participou da última sessão do Concílio Vaticano II, com a missão de ser assistente dos observadores ecumênicos. Desde então, colaborou com a Santa Sé no diálogo com as igrejas ortodoxas.

O trisaghion foi presidido pelo reitor do Colégio Pontifício Grego, Pe. Manuel Nin, que, na homilia, recordou o serviço apaixonado e "sorridente" de Dom Fortino à Igreja, à liturgia e à unidade dos cristãos.

A celebração, segundo Dom Juan Fernando Usma Gómez, chefe de escritório no Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, "foi um testemunho de afeto imponente e comovente, que nos faz recordar como Dom Fortino foi não somente uma alma do ecumenismo e um homem de cultura, mas também um sacerdote que era verdadeiramente pároco da sua comunidade ítalo-albanesa".

Depois da homilia, o cardeal Walter Kasper, presidente emérito do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, comovido, expressou "profunda gratidão por tudo o que Dom Fortino fez. Digo isso não somente em meu nome, mas em nome de todos os colaboradores e colaboradoras, de todos os que o estimaram nestes longos anos".

"Em Dom Fortino, conhecemos a profunda humanidade; ele foi um amigo fiel. Todos nós admiramos como, apesar da esgotadora doença, ele sempre conservou o bom humor e continuou com o trabalho que carregava no coração. Perdemos um amigo."

Dom Farrell recordou o último encontro de Dom Fortino com Bento XVI, no último dia 28 de junho, por ocasião da audiência à delegação enviada para a solenidade dos santos Pedro e Paulo pelo patriarca ecumênico de Constantinopla. E o próprio patriarca Bartolomeu expressou seus pêsames em uma mensagem.

Por último, o bispo Farrell sublinhou o carinho e a estima por Dom Fortino, manifestada pelo arcebispo ortodoxo de Tirana e de toda Albânia, Anastásio.