Os Bispos da Polônia pedem liberdade de transmissão

Comissão do Governo discrimina a TV católica

| 901 visitas

ROMA, quarta-feira, 25 de janeiro de 2012(ZENIT.org)- Na Polônia, tentam negar a liberdade de transmissão para a TV Católica T rwam.

***

O mundo católico está revoltado. Entrevistas e declarações em defesa da liberdade de transmissão são publicadas na imprensa. Assinaturas de protesto são recolhidas. O Presidente da Conferência Episcopal e os Bispos emitiram comunicados em defesa dos direitos da TV católica.

A controvérsia surgiu quando o Conselho Nacional de Rádio e Televisão Polonês (KRRi TV) se recusou a conceder o multiplex digital para a TV Trwan, única estação da Igreja Católica no país. Isto significa que a TV Trwan poderá transmitir apenas via satélite e quem quiser segui-la terá que pagar uma assinatura.

Diante da decisão, o Conselho Permanente da Conferência Episcopal Polonesa emitiu uma declaração, no dia 16 de janeiro, em que "Exorta o Conselho Nacional de Rádio e de Televisão polonês a atribuir concessão do multiplex digital para a TV Trwan".

Os bispos poloneses explicam que "A exclusão de uma TV católica viola o princípio do pluralismo e da igualdade perante a lei. "

As notas revelam que a maioria dos poloneses são católicos e que têm o direito de acesso livre e gratuito aos programas televisivos da TV Trwam.

A TV Trwan existe ha mais de oito anos e tem uma sólida redação e um público amplo, por isso os membros do Conselho Permanente da Conferência Episcopal Polonsa pede para que “seja inserida no sistema digital de TV na Polônia”.

A este respeito, o arcebispo Józef Michalik presidente da Conferência Episcopal Polonesa emitiu uma declaração para o jornal católico "Niedziela", que enfatiza o papel social da TV Trwam.

A emissora Trwam é muito atenta às condições dos pobres e daqueles que sofrem injustiças e enfermidades.Eles desenvolvem um trabalho original, porque transmitem serviços que contam a vida da Igreja universal, as atividades, viagens do papa, obras de caridade...


Segundo o presidente da Conferência Episcopal Polonesa, a situação é ignorada pelas outras emissoras de televisão e se não fosse pela TV Trwan, seria desconhecida.

Por Antonio Gaspari
(Tradução do polonês por Don Mariusz Frukacz)